3 dicas úteis para um jovem engenheiro crescer na empresa

VDI Brasil
Em um país onde se formam aproximadamente 80 mil engenheiros por ano, de acordo com os últimos dados da Fapesp, de 2015, é importante pensarmos no papel destes jovens nas grandes empresas e como podem ser a chave para impulsionar a produtividade e a busca pela inovação.
O abismo entre as idades dos engenheiros nas empresas muitas vezes se torna uma barreira para que novas ideias sejam adotadas e, por mais importante que seja a diversidade nas equipes, nem todos os gestores conseguem inserir os futuros engenheiros na equipe de modo que tenham voz e possam expor sua visão profissional.
Esse choque de gerações já foi tema de muitas discussões. De fato, é bastante difícil unir uma equipe onde há engenheiros desde a geração Baby Boomer (nascidos nas décadas de 1960/70) até a geração Millenium, conhecida também como geração Y (nascidos entre as décadas de 1980 e 1990). Por isso, neste artigo separamos algumas dicas de como os futuros engenheiros e profissionais recém-formados podem conquistar seu espaço nas empresas e ajudar suas equipes na busca pelos melhores resultados.
1. Compartilhe seus insights sem medo
Sempre que possível, exponha sua visão. Peça para apresentar suas ideias sem medo. Muitos gestores já foram o “engenheiro jovem” e boas ideias mostram iniciativa e vontade de contribuir com a empresa.
Ao compartilhar algo, também esteja aberto a ouvir ou peça ajuda de colegas mais velhos que podem lhe dar uma nova visão sobre o que você está pensando.
Ser claro e manter o foco também ajuda muito. Além disso, é importante sempre comprovar o que você está dizendo. Pesquise, esteja por dentro do assunto. Uma das vantagens de ser parte de uma geração que cresceu com a tecnologia é que ela pode ajudá-lo a expandir sua criatividade e buscar meios mais inovadores.
Conforme enfatiza o reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Benedito Aguiar Neto, os jovens engenheiros brasileiros têm grande importância para impulsionar a inovação no Brasil.
“O pequeno número de engenheiros que formamos tem um impacto muito grande no nível da inovação tecnológica que produzimos e, igualmente, no número e diversidade de produtos ou serviços com tecnologias avançadas agregadas. Sem inovação, no mundo globalizado, não há contribuições para o crescimento da atividade econômica de base tecnológica e, sem uma economia em crescimento, não há demanda por mais e novos produtos e processos e, consequentemente, por mais engenheiros”.
A formação dos engenheiros têm mudado e as universidades estão mais alinhadas com as empresas, ajudando os futuros engenheiros a entrarem no mercado de trabalho mais preparados e mais confiantes da sua importância dentro da equipe. Saiba como essa parceria entre instituições de ensino e mercado está mudando a formação dos engenheiros.
2. Peça a algum superior para ser seu mentor
Segundo a pesquisa global da Deloitte “The Millennial Survey 2016”, hoje, o mercado é formado por 50% de profissionais da chamada Geração Y. Entretanto, a maioria da liderança ainda pertence à geração Baby Boomer.
Normalmente, as organizações já têm um planejamento de quem orientará os futuros engenheiros ou os profissionais mais jovens. Porém, nada impede que você busque alguém que lhe inspire dentro da empresa e peça para que esta pessoa seja seu mentor.
A pesquisa da Deloitte também apontou que 63% dos representantes da Geração Y consideram que suas habilidades não estão sendo desenvolvidas por completo. Por isso, tomar a iniciativa de buscar um mentor entre os colaboradores experientes é uma forma de mostrar interesse, ganhar espaço para desenvolver suas ideias e conquistar confiança.
O cenário não é muito favorável, e por isso os engenheiros do amanhã devem desenvolver competências que vão além do conhecimento técnico. Neste texto aqui no blog explicamos como o cenário de disrupturas está levando os jovens engenheiros a desenvolverem novas competências.
3. Use a tecnologia a seu favor
Millennials já nasceram na era da tecnologia. São pessoas que se adaptam facilmente às mudanças e, por isso, podem ser bastante produtivos quando se trata do uso de novas tecnologias.
A transformação digital já começou e promete mudar radicalmente os processos nas empresas ao longo dos anos. Os futuros engenheiros têm essa grande vantagem, já que dominam muito mais as novas tecnologias do que seus superiores da geração Baby Boomer. Além disso, a facilidade com que conseguem acesso às informações os torna ótimos profissionais, que não se convencem por qualquer discurso.
A pesquisa “A automação no ambiente de trabalho 2017”, realizada pela Smartsheet em parceria com a Market Cube, mostrou como a transformação digital e a automação vão impactar o ambiente de trabalho e, principalmente, as diferentes gerações.
Entre os participantes do estudo, 80% afirmaram que a automação os ajuda a ser mais eficientes no trabalho. Contudo, apenas 58% dos Baby Boomers disseram que a automação faz parte de sua rotina. No caso dos Millennials, o número é de 71%. Conquistar espaço através do domínio das novas tecnologias é um excelente caminho para quem está começando, sobretudo em uma era em que se espera que os profissionais sejam multitarefa e tenham habilidade de aprender em tempo real, acompanhando o mundo em transformação.
Explorar os potenciais das diferentes gerações pode ser um caminho para alavancar os resultados de sua empresa. Quer se aprofundar no assunto? Associe-se à VDI-Brasil e acompanhe as atividades de nosso Cluster de Inclusão e Diversidade.

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading