Da dramaturgia para a vida real: Controle de Qualidade de Obras pode evitar tragédias

Assessoria de Imprensa
Situação retratada em novela global do horário nobre chama a atenção para os cuidados que devem ser tomados durante a construção de uma obra residencial
“Segundo Sol”, atual novela do horário nobre da TV Globo, abordou recentemente as consequências drásticas do uso de materiais não conformes na construção de um condomínio residencial, onde foi utilizada areia de praia no lugar da convencional. O resultado? A morte de um dos personagens e dezenas de famílias desabrigadas. O mais preocupante, no entanto, é que casos como esse não se restringem à ficção: há 20 anos um edifício residencial desabou no Rio de Janeiro exatamente pelo mesmo motivo e, cotidianamente, são registrados problemas com diversos graus de gravidade em edificações no Brasil.
Por esse motivo, a Associação Brasileira doas Empresas de Tecnologia da Construção Civil (Abratec) alerta: para não cair nas mãos de construtoras que burlam as leis e a fiscalização, o consumidor precisa estar atento na hora de adquirir um imóvel e certificar que o mesmo tenha passado por um rígido controle de qualidade, que garantirá que projetos, processos e materiais utilizados na obra estarão dentro dos padrões exigidos pelos órgãos reguladores.
“A qualidade de um edifício começa pelo projeto arquitetônico, que leva em conta suas condições funcionais e deve estar bem integrado aos demais projetos (estrutural, elétrico, hidráulico, entre outros). Quando a qualidade é foco desde a etapa de projeto há também redução de custo da edificação devido a definição e aplicação adequada dos materiais de construção”, diz a engenheira civil Patrícia Falcão Bauer, associada à ABRATEC pela Falcão Bauer Centro Tecnológico de Controle da Qualidade e Mestre em Materiais de Construção pela Poli-USP.
Conforme Patrícia explica, é fundamental que esse controle seja feito por uma empresa terceira isenta, ou seja, que não seja nem a construtora do imóvel nem a concreteira. “O consumidor final precisa saber que existem empresas especializadas nesse controle de qualidade e exigir da construtora que elas sejam contratadas não só para controle dos materiais como também para acompanhamento da execução. Além disso, a empresa responsável pelo controle deve ter acreditação da Cegecre do Inmetro, um grande diferencial que garante a confiabilidade do serviço prestado”, enfatiza a engenheira.
Entre os problemas mais comuns enfrentados por falta de controle de qualidade nas obras estão àqueles que afetam a estrutura das edificações, como deformação e fissuras em lajes e vigas. Outros problemas frequentes encontram-se nas fachadas, como infiltrações, queda de revestimento, desgaste rápido da camada de emboço e desplacamento de revestimento cerâmico.
O engenheiro Rogerio Perini, por sua vez, que é associado à ABRATEC pelo Grupo Egis, destaca que o consumidor pode averiguar se a obra tem controle de qualidade dentro das normas por meio das suas certificações. “Existem certificados emitidos por empresas certificadoras ou conduzidos pelo próprio fabricante, tanto para os materiais quanto para a execução da obra”, explica, ressaltando que em alguns produtos constam os selos de certificação e, para outros, é possível obter com o fabricante o documento de certificação de seu produto. 
Perini complementa que, geralmente, as construtoras divulgam quem é a empresa terceirizada responsável pelo controle de qualidade da obra e dos materiais. “O consumidor também pode checar no memorial descritivo da obra se os materiais utilizados são certificados por Organismos de Certificação e, quando houver citação de que poderá haver uso de produto similar, que o similar também seja certificado”, finaliza. 

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading