SINDUSCON-PE abre espaço para startups da construção civil

Entidade vai abrigar em seu prédio empreendedores que desejam empreender na inovação do setor

Diário de Pernambuco
José Antônio Simón acredita que aproximar as startups das construtoras pode acelerar o processo. Foto: Sinduscon/Divulgação

Como um movimento natural que já vem acontecendo no setor, agora é a vez de o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon-PE) entrar de vez na onda da inovação. A entidade vai abrir espaço para startups voltadas para o setor. E isto vai acontecer na forma literal da palavra. Existe um projeto para abrigar os empreeendores que quiserem investir em inovação para a construção civil dentro do prédio do Sinduscon, no bairro da Ilha do Leite. A ideia é que um andar seja ocupado pelas startups já no próximo ano, com o objetivo de aproximar as construtoras, investidores e empreendedores.
O projeto ainda está em fase inicial de estudos, principalmente sobre as demandas necessárias para o setor. "A gente sabe que esse é o futuro. Quando participamos do Construtalk Recife (realizado no dia 23, no RioMar), vimos que a construção é muito carente de inovação. Não estou falando de tecnologia porque tecnologicamente é um dos setores da indústria que mais evoluiu. Os nossos processos são ambiental e socialmente corretos, mas eles continuam sem inovação e vamos buscar isso nas startups", disse José Antônio Simón, presidente do Sinduscon-PE.
A perspectiva é que, ao aproximar as construtoras das startups, a aceleração seja ainda mais rápida e que aconteça de forma natural por encurtar o processo de apresentação de um problema e possibilidade de solução. "Estamos vendo as necessidades de cada um e vamos juntar um grupo de construtores para ver o que eles precisam, entender os gargalos para chamar os empreendedores para mostrar as necessidades do setor. Vamos fazer um ambiente onde haja permuta", acrescenta José Antônio.
Para ele, existe um campo enorme a ser explorado em relação à inovação na construção civil. E, inclusive, o acesso pode servir para ajudar quem quer empreender e também a reduzir os custos nos processos construtivos. "Toda empresa tem formalmente um setor de cotação e tem uma pessoa específica para cotar materiais. Aí criaram a startup Coteaqui, que oferece todos os detalhes de uma cotação. Esse é só um exemplo prático de como a inovação pode solucionar os problemas, acelerar os processos e reduzir custos", detalha o presidente do Sinduscon-PE.
Ficons
O Sinduscon-PE vai dar início ao seu projeto de inserir inovação no setor na 11ª edição da Feira Internacional de Materiais, Equipamentos e Serviços da Construção, que acontece de 11 a 15 de setembro, no Centro de Convenções. "A grande novidade deste ano do evento é que vamos ter uma ilha só para as construtechs (startups voltadas para a construção). Neste espaço, elas vão poder mostrar o que estão fazendo e também vão poder apresentar suas ideias com o objetivo do alcançar investidores", completa José Antônio Simón.

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading