07 de novembro de 2018

Falta de tempo e de recursos estão entre os principais desafios da engenharia

Redação EC
Informação integra a quarta pesquisa anual “Pulse of Engineering”, encabeçada pela GlobalSpec
 
A GlobalSpec, empresa de serviços de tecnologia que fornece um mecanismo de busca de produtos industriais e de engenharia, entrevistou cerca de 2,2 mil engenheiros e profissionais técnicos sobre o ambiente de trabalho deles, bem como desafios, medidas de desempenho e outros fatores. Os resultados deste trabalho compõem a quarta edição da “Pulse of Engineering”, pesquisa realizada anualmente pela empresa, e estão divididos em sete categorias: ambiente de trabalho, desafios e concorrência, plano de carreira, gestão do conhecimento, medição de desempenho, indústria de eletrônicos e Millennials.
 
Ambiente de trabalho
 
A “Pulse of Engineering” apontou que 23% dos engenheiros entrevistados têm de 1 a 10 profissionais desta área trabalhando em suas empresas. No entanto, 41% disseram que esse número ultrapassa os 250, o que mostra a força da engenharia. Para 53% deles, o número médio de engenheiros trabalhando simultaneamento em um projeto gira em torno de um a quatro profissionais, enquanto que para 24% dos entrevistados, esse número pode chegar de cinco a nove pessoas. 
 
Entre as principais tecnologias que os entrevistados acreditam que afetarão o mundo nos próximos anos estão a Inteligência Artificial, a Internet das Coisas e as tecnologias permitidas por ela, como é o caso de veículos autônomos. 
 
Desafios e concorrência
 
Quando o assunto é desafio, os engenheiros consultados apontaram que os principais deles são a falta de tempo e a falta de recursos. Cerca de 79% dos entrevistados concordaram que os projetos estão ficando cada vez mais complexos e 72% disseram que há mais pressão durante o time-to-market (tempo que leva de um produto sendo concebido até estar disponível para venda). 
 
Quanto à concorrência, os profissionais acreditam que o número de competidores cresce cada vez mais e que o cenário competitivo é global. 
 
Plano de carreira
 
A pesquisa da GlobalSpec traz um dado interessante sobre a continuidade de engenheiros em uma mesma empresa: 37% dos entrevistados estão muito ou completamente propensos a estarem em um mesmo trabalho pelos próximos cinco anos. Afinal, para mudar de empresa, eles entendem que precisariam aprender mais sobre novas linguagens de programação, habilidades de gerenciamento de negócios, implementação de inteligência artificial e habilidades de desenvolvimento de software. 
 
Em contrapartida, entre as duas principais razões para mudarem de emprego figuram as oportunidades de avanço e o pacote de compensação aumentado e entre motivos pelos quais eles acreditam que não estarão no mesmo lugar em cinco anos, destacam-se: mudança para outra empresa (32%), aposentadoria (30%) e promoção (16%). 
 
Gestão do conhecimento
 
Com novidades surgindo a todo momento no campo da engenharia, os engenheiros precisam se manter sempre atualizados. Para conservar e aprimorar suas habilidades, grande parte deles (48%) recorrem aos livros, enquanto 39% buscam cursos de treinamento online. 
Outros dados interessantes também entram nesta categoria:
65% dos entrevistados não têm práticas formais para identificar especialistas de nível sênior e especialistas para treinar, transferir, orientar, gerenciar ou reter conhecimento em sua organização;
53% dos engenheiros estão dispostos a se registrar em um site para acesso a documentos específicos. 
 
Medição de desempenho
 
As parâmetros mais citados pelos entrevistados para medir o desempenho de seus respectivos trabalhos, são: qualidade do produto (60%), atendimento ao cliente e pesquisas de satisfação (58%) e datas de lançamento (49%). 
 
Indústria de eletrônicos
 
Pela primeira vez, a categoria de indústria de eletrônicos é incluída na pesquisa da GlobalSpec. Ela mostra que os engenheiros eletrônicos são mais propensos a usar software e ferramentas de desenvolvimento, kits de design e recursos de codificação para concluirem seus projetos. 
Além disso, o perfi deles é um pouco diferente quando o assunto é aprimorar as habilidades: os engenheiros eletrônicos estão mais dispostos a se registrarem em um site para acessar o conteúdo. 

Millenials

Por fim, os engenheiros millennials (composto pelos nascidos após 2000) encerram a pesquisa apresentando características bastante específicas. Diferente do grupo citado anteriormente, eles são motivados pela compensação e mais ainda por oportunidade de aprendizagem, potencial de crescimento e bom equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. 



Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading