22 de novembro de 2018

Smarja e Aro Mineração trazem novo sistema de rastreamento de dragas para o Brasil

 
Conhecido como sistema IDP, solução permitirá ainda mais precisão e segurança no controle operacional das mineradoras no Rio Grande do Sul
Foto: Sindibritas
 
As mineradoras gaúchas Smarja e Aro Mineração importaram dos Estados Unidos um sistema de rastreadores com alta capacidade de processamento e precisão, conhecido como IDP. Apesar de não ser uma exigência das licenças operacionais, o sistema promete trazer mais segurança e precisão para a mineração no Rio Jacuí, que banha o Estado do Rio Grande do Sul. A iniciativa das empresas foi apoiada pela Associação Gaúcha de Produtores de Brita, Areia e Saibro (Agrabritas), pelo Sindicato da Indústria de Mineração de Brita, Areia e Saibro do Estado do RS (Sindibritas-RS) e pelo Sindicato dos Depósitos, Distribuidores e Comerciantes de Areia no Estado do RS (Sindareia-RS).
 
“Mesmo que as mineradoras já contassem com um sistema de monitoramento, a intenção é mostrar para a sociedade e para os órgãos reguladores que o setor está proativo e atento ao que há de melhor no mundo para a garantia da mineração sustentável”, assegurou o diretor da Agrabritas, Sandro Almeida. 
 
Já para o presidente do Sindareia-RS, Laércio Thadeu da Silva, trata-se de um exemplo ímpar. “Em um Brasil envolvido por uma histórica crise financeira, os mineradores investem em melhorias importadas em meio ao câmbio mais volátil dos últimos anos, a fim de garantir mais segurança e efetividade para a mineração de areia no Rio Jacuí. Isso tudo, sem nenhuma exigência de órgãos reguladores, o que só deixa claro que a nossa intenção é sempre trabalhar da melhor maneira possível”, declarou.
 
Fabricado pela empresa norte-americana Orbcomm, o sistema IDP deve entrar em pleno funcionamento a partir de janeiro de 2019, onde toda a área das mineradoras Smarja e Aro irão utilizar somente esse sistema. Entre as principais características do equipamento, vale destacar a precisão maior de corte das bombas de dragagem ao se aproximarem da margem, com o erro de apenas 2,5 metros.
 
Todas as dragas das mineradoras serão equipadas com o sistema de  rastreamento, monitoramento e localização, apoiado numa complexa infraestrutura de internet e software, associada a serviços de comunicação de dados via satélite e telefonia móvel celular GSM/GPRS, que permitirá o controle total de todos os passos do equipamento em todas as etapas da mineração: extração, carregamento, transporte e descarregamento, bem como a coleta de dados telemétricos da draga.
 
O sistema IDP conta com central de monitoramento externa e independente, homologada pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), possibilita ao usuário saber a localização e a condição de deslocamento das embarcações online.

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading