13 de dezembro de 2018

Saiba por que as estradas do futuro serão em concreto

Portal Itambé
Na Europa, já há consenso de que o pavimento rígido é o mais adequado para receber as tecnologias de mobilidade
 
Se a indústria automobilística quiser viabilizar as tecnologias em curso, como carros elétricos, pistas que auto-abastecem os veículos – as chamadas e-highways – e estradas capazes de armazenar energia, as rodovias em pavimento de concreto são a solução. A avaliação parte de especialistas que participaram recentemente do seminário “Infraestrutura rodoviária para veículos elétricos, autônomos e conectados”, promovido pela EUPAVE (European Concrete Paving Association).

O evento ocorreu no Parlamento Europeu, onde há uma série de leis a serem votadas para padronizar as estradas dos países que integram a União Europeia. Isso obriga os legisladores a considerarem o tráfego de carros elétricos. “Para se tornarem conectados e autônomos, os veículos elétricos precisam de infraestrutura viária com durabilidade e previsibilidade. “Nesse sentido, os pavimentos de concreto oferecem muitas vantagens e facilitam a transição para esse novo modelo de mobilidade sobre rodas”, cita Stéphane Nicoud, presidente da EUPAVE.

Diretor-geral da Oficemen (Grupo de Fabricantes de Cimento da Espanha), Aniceto Zaragoza destacou que a nova geração de caminhões elétricos que vai começar a trafegar na Europa na próxima década “precisa de uma nova geração de infraestrutura para uma nova mobilidade”. A ideia foi reforçada pelo engenheiro Patrick Akerman, da Siemens, que trabalha no projeto de e-highways, para abastecer caminhões elétricos em movimento. “Precisamos de rotas sem ondulações para que a recarga dos caminhões não sofra interrupções”, salienta.

O Parlamento Europeu criou uma comissão para estudar os novos conceitos de infraestrutura viária. Batizada de DG Move, ela é presidida pela deputada Cristina Marolda. Para a parlamentar, o desafio é fazer a transição entre as estradas convencionais e as estradas do futuro. “Haverá um momento, nesta transição, em que dois tipos de veículos totalmente diferentes terão que coexistir, os elétricos e os a combustão. Assim, a infraestrutura rodoviária desempenhará um papel importante neste período de transição para garantir a segurança”, avalia.

França, Alemanha e Itália saem na frente para construir e-highways
 
França, Alemanha e Itália são os países que saem na frente para combinar a tecnologia dos carros elétricos com o pavimento de concreto. Em Versailles-França, a Qualcomm testa uma pista capaz de carregar veículos em movimento. Na Itália, em Turim, sistema instalado no pavimento em concreto abastece os ônibus quando eles param nos pontos para embarcar e desembarcar passageiros. Na Alemanha, são as e-highways que estão em operação. O país tem a meta ousada de, até 2050, não ter mais veículos a combustão trafegando em suas estradas.

Em junho de 2018, a EUPAVE promoveu em Berlim, na Alemanha, o seminário “O concreto conecta”. O objetivo foi mostrar os avanços que o país tem feito para unificar as estradas em pavimento rígido com as novas tecnologias de mobilidade. Um dos temas abrangeu as estradas com concreto pré-fabricado, que podem ser industrializadas com todas as conexões necessárias para viabilizar as e-highways a partir do próprio pavimento. “A Europa está em movimento e na direção das estradas do futuro”, concluiu o presidente da EUPAVE, Stéphane Nicoud.

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading