17 de janeiro de 2019

Resposta para “crosta terrestre perdida” pode estar no fundo da Terra

National Geografic

Parte da crosta terrestre foi perdida durante as eras geológicas de acordo com estudiosos. Como eles sabem disso? Eles utilizam o Grand Canyon, um grande buraco cujas camadas guardam a história de todas eras geológicas da Terra. Com isso, eles sabem que parte da crosta, que deveria datar de 250 milhões de anos a 1,2 bilhões de anos, está perdida.

Este período “perdido” é que os pesquisadores chamam de Grande Conformidade e deve ter ocorrido antes do período Cambriano, quando houve uma explosão da vida na Terra. Logo, entender este lapso no tempo do nosso planeta pode ajudar também a compreender o que aconteceu bem antes da vida existir em massa por aqui.

Tudo indica que agora um grupo de cientistas conseguiu entender este fenômeno. Um time do Centro de Geocronologia de Berkeley acredita que a responsável por isso seja a Snowball Earth, ou Terra Bola-de-neve, assim chamada em tradução livre. Eles acreditam que, durante este período, a Terra ficou congelada e rodeada de uma crosta glacial, com capacidades corrosivas muito maiores que as de hoje.

Tais sedimentos, então, na medida em que a Terra foi derretendo, foram depositados em um grande mar de lama e desceu para as camadas mais profundas das placas tectônicas, motivo pelo qual não estão entre as outras camadas. Ou seja, em resumo, alguns locais “enterraram” este período considerado a quinta era geológica da Terra.

“Eu acredito que temos extraordinárias evidências para acreditar nesta suposição também extraordinária”, acredita o líder do estudo, C. Brenhin Keller.

Isso porque estudiosos já comprovaram que o solo terrestre passa por maior corrosão em camadas de gelo. O peso da água congelada cria uma pressão maior nas bases molhadas criando este movimento de sedimentos.

Outra evidência está relacionada ao zircônio. Estes metais são usados para calcular a idade da Terra e outras características das rochas, já que se cristalizam e guardam consigo parte dos resíduos que havia há bilhões de anos.

Assim, eles perceberam, por conta da análise do zircônio presente nestes sedimentos, a teoria da bola de neve se encaixa perfeitamente na reciclagem de magma que houve no período, já que os sedimentos foram tragados até as placas tectônicas.

Também neste conjunto de zircônio, pela análise da quantidade de oxigênio, fica evidente que os sedimentos passaram por baixas temperaturas, encaixando perfeitamente com a teoria.

Com isso, os pesquisadores acreditam que os resíduos da Grande Conformidade estão enterrados entre 1,9 quilômetro e quase 5 quilômetros abaixo da Terra.

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading