27 de março de 2019

CGG cerca leilões do pré-sal com sísmica 3D

Projeto Santos Fase X, Antares vai cobrir áreas que serão licitadas pela ANP nos 6o, 7o e 8o leilões do pré-sal

por epbr
A CGG iniciou o licenciamento de uma campanha de aquisição de dados sísmicos que vai durar um ano na Bacia de Santos. Batizada como Projeto Santos Fase X, Antares a campanha vai cobrir áreas que serão licitadas pela Agência Nacional do Petróleo nos 6o, 7o e 8o leilões do pré-sal, previstos para acontecer neste ano, 2020 e 2021, respectivamente.

A campanha da CGG está será foi separada em três partes, começando em 1o de janeiro de 2020. A área de aquisição é de 45.244,62 km² e a área de atividade/ manobra foi limitada a 75.321,07 km² .
 
O 6o leilão do pré-sal, aprovado pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e previsto para acontecer no segundo semestre do próximo ano, terá bônus de assinatura fixado em R$ 7,85 bilhões. A concorrência deve ofertar os blocos exploratórios de Aram, Cruzeiro do Sul (antigo Sudeste de Lula, Sul e Sudoeste de Júpiter), Bumerangue e Sudoeste de Sagitário, na Bacia de Santos, e  Norte de Brava, na Bacia de Campos.

O bloco de Aram, que foi arrematado pela Eni em 2006 na 8a rodada de licitações da ANP, que acabou não indo pra frente por conta de uma decisão liminar na Justiça, será a área com o maior bônus fixo do leilão. Quem quiser disputar o contrato terá que dispor de R$ 5,05 bilhões para o bônus de assinatura. Em 2006, a Eni ofereceu o maior bônus até então em um leilão da ANP pela área: R$ 303 milhões. O percentual mínimo de óleo da União na oferta de Aram será de 24,53%.

O bloco de Cruzeiro do Sul, que fica ao Norte do bloco de Peroba, terá bônus de assinatura de R$ 1,15 bilhão. O percentual mínimo de óleo da União na área será de 22,87%.

Sudoeste de Sagitário (bônus de R$ 500 mil) e Bumerangue (R$ 550 mil), que foi definida como área estratégica, terão percentual mínimo de óleo da União de 26,09% e 26,68%, respectivamente.

Norte de Brava, na Bacia de Campos, teve bônus fixado em R$ 600 milhões e percentual mínimo de óleo da União de 36,98%.

Aram e Bumerangue terão conteúdo local fixado em 18% na fase de exploração e 25% para construção de poço; 40% para subsea; 25% para FPSOs. As áreas unitizáveis de Cruzeiro do Sul, Sudoeste de Sagitário e Norte de Brava terão conteúdo local igual ao determinado nas áreas originais. Não haverá waiver.

Para a 7a rodada deverão ser avaliados as áreas de Esmeralda e Ágata, localizadas na Bacia de Santos, e Água Marinha, na Bacia de Campos.

Para a 8a rodada serão analisadas as áreas de Tupinambá, Jade e Ametista, localizadas na Bacia de Santos, e Turmalina, situada na Bacia de Campos.

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading