Empreendimentos imobiliários

Capítulos 123456789

Capítulo IX:
Gestão de projetos

Dada a importância desta atividade específica para a equipe de gestão de projeto (empreendimento), detalhamos pormenorizadamente todas as ações a serem executadas em diversos empreendimentos, pois fica fácil entender a atividade de fiscalizar a implantação de um projeto:

·       rede de água e adutora;

·       estação elevatória de água;

·       sistema de captação;

·       reservatórios;

·       estação de tratamento de água.

·       a obra inicia-se com a execução da locação da rede que será objeto de verificação pela fiscalização;

·       antes do início das obras de implantação da rede, deverá ser emitido comunicado aos moradores do local, informando as características da obra, seus benefícios, eventuais transtornos que poderá provocar e previsão de tempo para sua conclusão;

·       nos locais de implantação, onde as vias públicas forem pavimentadas e as condições do pavimento estiverem deterioradas ou apresentarem defeito, é recomendável que se documente fotograficamente a pavimentação antes do início dos trabalhos. Esta precaução evitará transtornos futuros com os moradores ou a prefeitura municipal, que poderão alegar que as más condições do pavimento foram provocadas pela execução dos trabalhos;

·       deverão ser verificados in loco, por sondagens, os pontos de interligação com a rede existente, para melhor detalhamento destes, com a finalidade de levantar falhas no cadastro da rede existente;

·       verificar a disponibilidade dos materiais necessários para execução da rede para as interligações com a rede existente;

·       a autorização para início dos trabalhos deverá ser emitida de acordo com os trechos previamente planejados;

·       deverá ser executada a sinalização da obra, tanto para pedestres como para veículos, bem como dispositivos para proteção;

·       onde existir pavimentação asfáItica deverá ser feita a sua retirada, iniciando-se por seu corte, na extensão e na largura da vala previamente demarcada e, para pavimentação em blocos de concreto ou paralelepípedo, estes deverão ser retirados manualmente e estocados cuidadosamente para posterior reposição;

·       normalmente, para obras de implantação de rede de distribuição de água, não se utiliza equipamento para rebaixamento de lençol freático, em virtude da pequena profundidade das escavações. Porém, onde se fizer necessário, este será instalado antes do início das escavações;

·       a profundidade da escavação será em função da tubulação a ser assentada, pois deverá se observar o recobrimento mínimo da tubulação.

     Onde houver necessidade, a profundidade será em função do perfil hidráulico definido em projeto.

     Onde for necessário escoramento da vala, este será executado concomitantemente com a escavação.

     Após atingir-se a cota de assentamento da tubulação, se verificará a necessidade de embasamento para a mesma (lastro), ou se ela será assentada diretamente sobre o terreno natural;

·       os materiais normalmente utilizados para rede de distribuição de água são ferro fundido, PVC e DEFoFo:

ü     para cada tipo de material a ser utilizado, as técnicas de assentamento possuem pequenas diferenças;

ü     exemplificando: a tubulação de ferro fundido poderá ser assentada diretamente sobre o solo, observando-se que, em função do diâmetro, a descida da tubulação até o fundo da vala deverá ser feita com o auxílio de equipamento tipo guincho e deverá se observar se ocorreu a perfeita conexão entre tubos, se estão alinhados (as normas de ferro fundido prevêem a possibilidade de pequena deflexão entre tubos) e se não ocorreu problemas com o anel de neoprene da junta elástica;

ü     as tubulações de DEFoFo podem exigir pequeno lastro de areia para seu assentamento, para se evitar a ovalização da bolsa e dos tubos, para o perfeito alinhamento entre tubos e verificação do assentamento, se ocorreu a perfeita conexão e não ocorreu problemas com o anel. Os mesmos cuidados devem ser tomados para tubulação de PVC.

·       o reaterro da vala deverá ser executado tomando-se as precauções para que não se danifique a tubulação assentada, procedendo-se o apiloamento do solo, conforme especificações para cada tipo de tubulação utilizado;

·       nos locais da rede de distribuição que se fizer necessário o assentamento de TE, curvas ou cruzeta, há necessidade de ancoragem para que a pressão da rede não as desloquem provocando vazamento;

·       os registros de parada ou manobra, bem como hidrantes (de coluna ou subterrâneo), deverão ser assentados nos locais preconizados em projeto, bem como deverão ser protegidos por caixas de alvenaria ou concreto (para registros e hidrante subterrâneo);

·       com a conclusão do assentamento das redes nos trechos previamente prolongados, será executada a interligação com a rede existente. Após a interligação com a rede existente, serão efetuados os testes de estanqueidade e, em seguida, a lavagem da rede;

·       após a liberação pela equipe de gestão de projeto da rede de distribuição recém-construída (realização de ensaios de potabilidade da água), serão executados os ramais domiciliares de ligação de água nos imóveis ao longo de onde se implantou a rede e a limpeza final nos locais;

·       o cadastro da rede de distribuição, bem como das ligações domiciliares, serão executados concomitantemente com a obra, sendo enviados para aprovação e processamento pela equipe de gestão de projeto.

·       são tubulações de grande diâmetro e, para sua implantação, o seu assentamento poderá ser em vala a céu aberto ou dentro de túneis (NATM, túnel linear, etc.), apoiada sobre pilaretes, ou outro tipo de suporte;

·       o projeto executivo deverá ser verificado principalmente quanto ao perfil hidráulico, que determinará os locais onde se faz necessária a colocação de descargas, ventosas, inspeção (para tubulação em aço soldado), bem como fundação para embasamento da tubulação, escoramento, processo construtivo, além das interligações com rede existente (se for o caso), com reservatórios de ETA (se for adutora de água bruta), etc.;

·       a locação topográfica realizada deverá ser verificada detalhadamente pela equipe de gestão;

·       de posse das autorizações necessárias e das áreas liberadas, será autorizado o início das obras e a liberação de trechos será em função da metodologia construtiva definida de maneira a evitar-se a utilização de peças especiais (luvas ou instalação de inspeções) para interligação entre trechos;

·       quando forem executadas em vias públicas, deverão ser observados e tomados cuidados especiais com o sistema viário, pois são obras relativamente lentas;

·       deverão ser observadas e acompanhadas as providências e as atividades da construtora com relação à sinalização, ao escoramento, ao rebaixamento do lençol freático quando necessário, à retirada da pavimentação e ao material escavado;

·       deve-se tomar especial cuidado em relação às tubulações de aço soldadas quanto à espessura das paredes dos tubos, pois, em função das solicitações, um mesmo projeto pode contemplar diferentes espessuras de tubo;

·       a soldagem dos tubos de aço deverá ser executada por profissionais previamente qualificados e obedecendo às normas de projeto e todas as soldas deverão ser ensaiadas por equipamentos ultrassom e, após a liberação das soldas, deverão ser executados os revestimentos da tubulação (interno e externo) nos pontos das soldas e o posterior ensaio dos serviços por Holliday Detector, ou outro tipo de ensaio especificado;

·       a soldagem entre tubos de PEAD deverá ser executada por profissionais qualificados e os testes executados de acordo com as normas do material;

·       a supervisão deverá acompanhar e analisar os relatórios e os laudos referentes aos testes e aos ensaios realizados;

·       para a execução, utilizando-se como material ferro fundido ou tubos de aço de junta elástica, será utilizado equipamento do tipo tirfor para auxiliar o acoplamento dos tubos e será verificado o assentamento da tubulação tubo a tubo, verificando­-se as cotas de assentamento, o alinhamento dos tubos, a perfeita conexão entre eles e se não ocorreu problemas com o anel de neoprene utilizado como vedação e instalado nas bolsas dos tubos;

·       durante toda a execução dos trabalhos, deverá ser observado rigoroso controle das condições de segurança do escoramento, bem como da sinalização da obra;

·       o reaterro da vala deverá ser executado de acordo com os projetos e as especificações do projeto executivo;

·       verificar a retirada de pranchas, estroncas e longarinas do escoramento (se metálico - madeira), ou o escoramento de madeira, tomando-se os cuidados necessários com a segurança;

·       no caso de implantação em túnel, deverá ser executada a sua instrumentação e o assentamento da tubulação dentro do túnel se dará de acordo com o material da adutora e de acordo com as normas e as especificações do projeto executivo;

·       para as tubulações em aço, deverá ser executada proteção catódica da tubulação para prevenção contra corrente de fuga, de acordo com projeto específico;

·       para qualquer material a ser utilizado, é de suma importância que os dispositivos especiais (ventosas, descargas, válvulas, etc.), sejam instalados exatamente conforme o projeto e, durante a implantação da adutora e para a proteção destes dispositivos, deverão ser construídas caixas de alvenaria ou de concreto armado;

·       nas tubulações de aço soldado normalmente é prevista a instalação de inspeções, utilizadas para ventilação durante a execução de soldas e dos revestimentos bem como para retirada de materiais utilizados, limpeza final e acesso de pessoal. Nos locais das inspeções são construídas posteriormente caixas  de alvenaria e concreto para sua proteção;

·       deve-se observar o tipo das válvulas (manobra, parada, etc.) a serem instaladas na adutora e se estão de acordo com as especificações de projeto;

·       deverão ser executados concomitantemente com o assentamento da adutora seus dispositivos de proteção, pois demandam tempo relativamente longo para sua execução;

·       a reposição da pavimentação será de acordo com o tipo existente (blocos, paralelepípedos, asfalto, etc.), e providenciada a limpeza final da rua;

·       o cadastro deverá ser executado concomitantemente com a obra, bem como sua verificação e remessa para aprovação equipe de gestão de projeto;

·       serão executados os testes de estanqueidade, lavagem e desinfecção, de acordo com as normas e as especificações do projeto.

·       verificar se no projeto executivo estão incluídos os seguintes dados:

ü     cotas de nível máximo da lâmina d'água;

ü     cotas das ensecadeiras;

ü     tipo de ensecadeira.

·       para a execução deste tipo de obra, faz-se necessário autorizações do DEPRN, DAEE, Polícia Florestal e mesmo ElA-RIMA devidamente aprovado pelos órgãos competentes. A supervisão deverá verificar se estas autorizações estão aprovadas e, se não, realizar diligenciamentos para o acompanhamento do processo;

·       logo no início das obras, deverá ser apresentado para a concessionária de energia elétrica local o projeto de elétrica, bem como as cargas necessárias para a operação da captação;

·       este estudo pela concessionária demanda algum tempo e normalmente é necessária a construção de linha de energia elétrica exclusiva para a captação, podendo portanto ocorrer algum atraso na execução;

·       após a execução da ensecadeira, serão iniciadas as escavações no local da captação, observando-se que os taludes devem ter inclinação compatível com o tipo de solo no local e com a profundidade a ser escavada e os taludes resultantes da escavação devem receber camada de impermeabilização até onde o nível do lençol freático permitir;

·       em função do nível do lençol freático, a escavação deverá ser interrompida ao atingi-Io e instalado o equipamento de rebaixamento;

·       após este procedimento, será executada a escavação até a cota final de projeto;

·       concluídas as escavações, serão executadas as fundações de acordo com o projeto específico;

·       concluídas as fundações, será executada a camada de brita e posteriormente camada de concreto magro que servirá de apoio para a armadura da laje de fundo;

·       em seguida será executada a armadura da laje de fundo, bem como a das paredes laterais que eventualmente estejam engastadas na laje de fundo. Observar se o projeto prevê o engastamento das armaduras da laje de fundo da captação;

·       cuidados especiais devem ser tomados para que as armaduras das paredes não tombem para os lados;

·       a fiscalização deverá verificar o plano de concretagem, se as fôrmas e concreto estão sendo executados de acordo com os projetos, as especificações, as normas ABNT e internas do empreendedor;

·       deve-se tomar maiores precauções quanto à parede que liga o canal até a sala das bombas. Ela deverá ser totalmente impermeabilizada, além de se prever dispositivos externos para a colocação de grades retentoras de sólidos, para que elementos estranhos, tais como madeiras, plásticos, folhagens, não entrem na tubulação de sucção das bombas e venham a danificá-Ias;

·       após a conclusão das paredes, será executada a cobertura da elevatória da captação;

·       na aquisição de equipamentos, verificar e analisar desenhos de fabricação, os materiais utilizados na fabricação, as dimensões, as normas de fabricação, o tipo de pintura a ser utilizado, bem como os dispositivos de proteção, sua garantia e se são certificados pela equipe de gestão de projeto;

·       todos os materiais mecânicos e elétricos, bem como equipamentos, deverão ser inspecionados de acordo com as normas e os procedimentos do projeto executivo;

·       concomitantemente com a montagem da captação, tão logo estejam instaladas as comportas na tomada d'água, será retirada a ensecadeira;

·       verificar se a montagem da captação está sendo executada por equipes qualificadas e com equipamentos apropriados para tal, evitando-se improvisos que poderão comprometer a qualidade dos trabalhos ou mesmo danificar equipamentos;

·       para proteção dos conjuntos motobombas devem estar previstos dispositivos de segurança que deverão ser construídos ou instalados concomitantemente com a captação e de acordo com os projetos e as especificações;

·       a adutora de água bruta deve ser executada ao mesmo tempo que a captação;

·       concomitantemente com a montagem da captação, deverá estar concluída a cabine de entrada e medição (elétrica), de acordo com o projeto aprovado pela concessionária;

·       os testes e a pré-operação do sistema serão acompanhados e verificados quanto ao desempenho e a eventuais falhas de operação ou defeito de materiais/equipamentos.

·       no início da obra, verificar:

ü    locação topográfica pelas coordenadas geográficas e definição do RN;

ü     limpeza da área;

ü     canteiro de obras.

·       fundações: poderão ser diretas ou profundas. No caso de estacas pré-­moldadas, realizar criterioso acompanhamento da cravação, observando eventuais trincas, verticalidade, solda das emendas e a nega. Acompanhar a prova de carga dinâmica, conforme especificações do projeto. Para estacas escavadas, controlar: verticalidade, diâmetro, limpeza do furo, profundidade, controle do concreto de preenchimento. Se for em tubulões, verificar se os equipamentos são adequados, a verticalidade, o diâmetro, a comparação do material escavado com o perfil de sondagem, a colocação da armadura e a concretagem;

·       estrutura: em seguida, será executada a armadura da laje de fundo, bem como a das paredes laterais que eventualmente estejam engastadas na laje de fundo. Observar se o projeto prevê o engastamento das armaduras da laje de fundo da captação. Cuidados especiais devem ser tomados para que as armaduras das paredes não tombem para os lados. Verificar se as fôrmas e a concretagem estão sendo executadas de acordo com os projetos, as especificações, as normas ABNT e internas do empreendedor e se atendem ao plano de concretagem executado pela construtora;

·       energia elétrica: providenciar para que no início da obra sejam apresentados à concessionária de energia elétrica o projeto elétrico e as cargas necessárias para a operação do sistema;

·       equipamentos: verificar se os equipamentos a adquirir ou adquiridos possuem tensões compatíveis com as da concessionária e se são certificados pelo empreendedor;

·       montagem: certificar se a empresa contratada para a sua execução tomou as providências necessárias, tais como: instalação de talhas, equipamentos de transporte e se o pessoal é qualificado. Estas verificações têm por finalidade prevenir improvisos e consequentes atrasos nos serviços;

·       proteção: verificar se os dispositivos de segurança instalados são os previstos nas especificações de projeto;

·       elétrica: verificar o andamento da instalação da cabine de entrada e medição, que deverá ser concluída até o final da montagem dos equipamentos, bem como se essas cabines estão de acordo com o projeto da concessionária;

·       deverão ser realizados testes e pré-operação assistida, que serão acompanhados pela fiscalização.

·       os reservatórios de água podem ser do tipo enterrado, semienterrado, apoiado ou elevado, em concreto armado, concreto protendido ou metálico e a definição do tipo de reservatório é em função da finalidade a que se destina e do perfil hidráulico desejado;

·       a fiscalização deverá, inicialmente, verificar a locação topográfica feita pelas coordenadas geográficas e a definição do RN;

·       o canteiro de obras será construído conforme layout e materiais previamente verificados e aprovados pela fiscalização;

·       em se tratando de reservatório enterrado ou semienterrado, será executada a escavação com equipamento mecânico até a cota topográfica projetada e a fiscalização verificará a sua conformidade com o projeto executivo;

·       deve-se observar se nas adjacências existem edificações que poderão vir a ser afetadas ou correr riscos pelas proximidades da escavação e caso ocorra esta situação, a fiscalização deverá acionar a construtora para que providencie os dispositivos de segurança para evitar-se sinistros nos imóveis;

·       as escavações devem ser executadas observando se a inclinação do talude é compatível com o tipo de solo e a segurança da obra e a fiscalização deverá verificar a sua conformidade com as especificações do projeto;

·       locação - quando a escavação atingir a cota de projeto, será iniciada a locação da fundação prevista em projeto, o que deverá ser acompanhado pela fiscalização;

·       fundação - os tipos de fundação normalmente utilizados para os vários tipos de reservatório serão: direta (reservatório apoiado diretamente sobre o solo) ou profunda (estacas, tubulões, etc.):

ü     em se tratando de estacas pré-moldadas, deve-se executar criterioso acompanhamento da cravação, observando-se se ela não apresenta trincas, sua verticalidade, verificação da solda das emendas e controle de cravação até atingir-se a nega;

ü     é necessária a execução de prova de carga dinâmica no número de estacas previsto em norma ou determinado pelo projeto e, quando o projeto especificar a utilização de estaca escavada, deve-se tomar precauções quanto à verticalidade, ao diâmetro e à limpeza do furo, à profundidade da escavação e ao rigoroso controle das características e do lançamento do concreto para preenchimento do furo;

ü     se a fundação for em tubulão a céu aberto, deve ser verificada a qualificação do pessoal alocado para a tarefa, bem como os equipamentos disponíveis;

ü     após o início das escavações, deve-se proceder a rigoroso controle da verticalidade, bem como do diâmetro do tubulão;

ü     a eventual ovalização pode comprometer sua segurança;

ü     após a escavação do fuste, será executada a escavação da base (arrasamento) do tubulão, também com todos os cuidados de segurança;

ü     durante toda a escavação, recomenda-se a comparação entre o material escavado e o perfil de sondagem, pois pode ocorrer discrepância entre a sondagem e o solo real;

ü     após a conclusão da escavação, o tubulão deve ser inspecionado por engenheiro especializado e liberado para a colocação da armadura e de sua concretagem;

ü     a armadura do tubulão deverá estar previamente dobrada e em condições de colocação tão logo termine sua escavação;

ü     o concreto utilizado é o preconizado em projeto e previamente dosado em laboratório;

ü    concluídas as fundações, será executada a drenagem de fundo do reservatório.

·       armadura: será colocada a armadura da laje de fundo, dos pilares de sustentação da laje de cobertura e das paredes laterais que eventualmente estejam engastadas na laje de fundo;

·       cuidados especiais deverão ser tomados com a armadura vertical para que ela não fique tombada para os lados;

·       no caso de concreto protendido, verificar se os cabos de protensão estão devidamente posicionados nas bainhas;

·       concretagem: antes da concretagem da laje, deve-se proceder a rigoroso plano de concretagem, devido ao grande volume de concreto e devendo se evitar junta de concretagem na laje de fundo de reservatórios;

·       a fiscalização deverá verificar:

ü     plano de concretagem;

ü     traço do concreto de acordo com o previsto;

ü     análise de resultados de ensaio de resistência;

ü     juntas de concretagem;

ü     dimensões de projeto;

ü     lançamento;

ü     transporte do concreto;

ü     vibração do concreto;

ü     cura do concreto.

·       a fiscalização deverá acompanhar:

ü     o enchimento do reservatório com água, para testes de estanqueidade e verificação de eventuais anomalias no concreto, bem como eventuais infiltrações;

ü     em se tratando de reservatório enterrado ou semi­enterrado deverá ser verificado seu reaterro lateral, observando-se os controles de compactação necessários;

ü     nos reservatórios elevados, as verificações serão as mesmas para os enterrados, tomando-se cuidados especiais na verificação da estrutura de sustentação, já que ele estará situado a muitos metros acima do nível do terreno.

ü     se o reservatório for metálico, a fiscalização deverá verificar se sua construção está próxima à linha de alta tensão, que são locais onde ocorrem correntes de fuga (elétrica), podendo comprometer o reservatório, mesmo quando executada proteção catódica.

    Independente do local onde seja construído o reservatório metálico, a fiscalização deverá exigir a execução de serviços de proteção catódica para evitar corrosão das chapas.

·       as fundações, para o reservatório metálico, são as mesmas que para reservatório em concreto, já que a laje de fundo (metálica) é apoiada sobre laje de concreto armado: 

ü     verificar se a espessura das chapas a serem utilizadas são as de projeto;

ü     verificar e controlar para que as chapas sejam colocadas de maneira que as soldas verticais não sejam contínuas, mas sejam intercaladas.

     Verificar, também, se, na conclusão do reservatório, foi executado o jateamento com areia de toda a superfície interna e externa e a aplicação do revestimento de acordo com as normas e as especificações de projeto.

As fundações e as paredes de concreto serão verificadas quanto às dimensões de projeto e o acompanhamento da execução das fundações e à concretagem das paredes. Especial atenção deverá ser dada à execução das juntas de dilatação.

Serão também verificadas e acompanhadas a execução das passarelas, a instalação removedora de lado e das calhas coletoras de água.

O canal de água decantada liga os decantadores e os filtros e deverá ter a cota superior igual à do decantador, o que deverá ser objeto de verificação pela fiscalização pela equipe de topografia.

A execução do canal será acompanhada pela fiscalização, que fará as devidas verificações de conformidade com os projetos e as especificações.

Os filtros, normalmente executados em concreto, terão a sua abertura voltada para o canal de água decantada.

A fiscalização acompanhará a sua execução, verificando:

·       instalação da comporta;

·       sistema de operação da comporta;

·       tubulação para coleta de água filtrada (no fundo do filtro);

·       instalações e equipamentos de lavagem dos filtros (válvulas, comportas);

·       canal de água filtrada e galeria das tubulações;

·       galeria de comando;

·       reservatório de lavagem dos filtros.

A fiscalização fará o acompanhamento das demais instalações da ETA, verificando a sua conformidade com os projetos e as especificações.

Acompanhará todos os testes e ensaios realizados nos equipamentos, garantindo que os materiais e os equipamentos adquiridos e aplicados sejam certificados pelo empreendedor.

Acompanhará a pré-operação dos sistemas instalados, providenciando a correção de eventuais falhas.

A equipe de gestão de projeto, em particular a equipe de fiscalização dos serviços de montagem dos elementos de instrumentação, principalmente nos casos de ETA’s considerando-se a sua importância no contexto da operação dos sistemas, trabalhará sob a orientação de um engenheiro eletricista experiente em instrumentação, adotando-se os seguintes procedimentos adicionais:

·       comparar especificações de projeto com os componentes adquiridos;

·       exigir acompanhamento técnico do fabricante, do fornecedor ou do representante;

·       exigir metodologia de manuseio e montagem para componentes críticos.

A equipe de supervisão irá elaborar programas de testes, ensaios e calibrações que atendam às várias fases de montagem, cuidando para somente liberar novas frentes com as montagens já executadas devidamente ajustadas, ensaiadas e aprovadas.

Todas as calibrações serão acompanhadas pela equipe de supervisão, pelo fabricante e pela empreiteira, sendo devidamente executadas, corrigidas e registradas em formulários apropriados, que serão passados à equipe de gestão ao final de cada ensaio e calibração.

Serão observados os níveis de sinais, os indicadores, a calibração de medidores, dosadores, dentre outros.

Ao final da montagem de cada sistema, a equipe de gestão irá programar uma calibração geral, deixando esse sistema apto a operar dentro das condições previstas.

Ao final de toda a obra, e durante a fase de pré-operação, os valores de calibração serão revistos e reajustados, colocando a estação em condições finais de operação.

Os testes finais e a pré-operação dos sistemas serão efetuados no prazo de 90 dias a contar do recebimento provisório das instalações e desenvolver-se-ão com o escopo especificado pelo planejamento, devendo ser acompanhados pela equipe responsável pela supervisão técnica e pelo controle de qualidade, de acordo com procedimentos de inspeção e testes predefinidos.

Objetivam verificar o desempenho de cada elemento do sistema, incluindo estruturas, equipamentos eletromecânicos, eletrônicos, de processos e tubulações e o comportamento do sistema como um todo.

As principais tarefas, conforme o tipo de obra, envolvem:

·    verificações de tubulações e equipamentos quanto a vazamentos;

·    inspeção de juntas, ancoragens e suportes;

·    inspeção de válvulas e comportas;

·    inspeção dos sistemas de bombeamento;

·    inspeção de subestação de energia elétrica;

·    inspeção de sistemas auxiliares;

·    inspeção de sistema de proteção catódica;

·    inspeção da operação dos equipamentos em carga;

·    inspeção da instrumentação e das aferições, incluindo medidores de vazão, de nível, pressão, etc.;

·    inspeção dos sistemas de controle operacional;

·    inspeção de toda fase de pré-operação;

·    inspeção da operação das elevatórias, incluindo partida de bombas, enchimento dos poços de sucção e das tubulações, operação de válvulas, equipamentos elétricos e instrumentação eletromecânica;

·    observação do desempenho de cada equipamento, das operações isoladas e dos conjuntos do sistema.



© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading