Retrato do Brasil

Capítulos 123456789101112131415

Capítulo XIII:
Turismo

·        Berlim - A Bolsa Internacional do Turismo (ITB), a maior feira do setor no mundo, em 9 de março de 2011, abriu suas portas em Berlim marcada pelo otimismo de uma indústria que considera superada a crise econômica internacional e que espera bater novos recordes de clientes e faturamento neste ano;

·        o turismo pode liderar uma nova década de crescimento justo, forte e sustentável e ser um dos mais efetivos agentes para o desenvolvimento, disse o secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), Taleb Rifai, na abertura da feira;

·        a primeira década do século XXI registrou um extraordinário crescimento do turismo, mas também houve impactos severos: uma década que começou com o 11 de setembro e que acabou com a crise econômica global, avaliou Rifai;

·        além disso, comentou que, atualmente, com um crescimento do número de turistas de 7% em 2010, é o momento de olhar para frente e se perguntar o que a próxima década trará para o setor, e previu um crescimento contínuo;

·        igual otimismo foi manifestado pelo presidente da Confederação da Indústria Turística Alemã (BTW), Klaus Läpple, que antecipou para 2011 um forte crescimento na hotelaria, no transporte aéreo e nas viagens de automóvel;

·        a Bolsa Internacional do Turismo receberá em sua 45ª edição 11.163 expositores de 188 países que mostrarão ao público seus produtos e as últimas tendências nas viagens de lazer;

·       a demanda dos expositores mais uma vez superou amplamente a oferta de espaço da ITB, relatou Christian Göke, diretor da feira da capital alemã, que acrescentou que a indústria internacional do turismo espera números recorde para este ano mais uma vez, mencionando os mercados emergentes como a Ásia, a América Central e o Leste da Europa como os locais mais promissores;

·        o responsável pela organização da ITB calcula que cerca de 100 mil profissionais do setor e 60 mil visitantes comparecerão à feira, reflexo do crescimento e da recuperação de um setor afetado pela recente crise financeira e econômica internacional;

·        Göke comentou que, apesar dos conflitos registrados em vários países árabes, nenhum deles faltará ao evento em Berlim, nem mesmo a Líbia, país para o qual alguns operadores oferecem pacotes de turismo de aventura no deserto;

·        já o Egito, que pela primeira vez contou com um pavilhão exclusivo, terá sua participação triplicada na ITB com relação ao ano passado;

·       outros países com conflitos abertos ou latentes que marcaram a presença em Berlim são Iraque, que retorna à feira pela primeira vez após anos de ausência, e o Paquistão, e também Iêmen, Síria, Tunísia, Marrocos e Argélia;

·        um setor que recebeu novos estímulos na presente edição será o segmento Gay and Lesbian Travel, que estreou no ano passado e que conta com um mercado crescente, sobretudo no Brasil, na Argentina, na Áustria, na Suíça, na Bélgica e em Israel;

·        os 12 mil especialistas que participaram dos simpósios e congressos da ITB trataram também das viagens para jovens, assim como as novas tecnologias, os problemas demográficos, as transformações sociais e a mobilidade do turista, entre outros temas.

·              lançado em junho de 2007, tem como metas estimular as viagens no mercado interno, criar 1,7 milhão de empregos e estruturar 65 destinos indutores do desenvolvimento regional, com padrão de qualidade internacional;

·        serão investidos R$ 5,63 bilhões em infraestrutura e R$ 1 bilhão na promoção de destinos turísticos no Brasil e no exterior até 2011.

·       os brasileiros viajaram mais pelo Brasil e avaliaram positivamente o passeio;

·       as conclusões são da pesquisa Hábitos de Consumo do Turismo Brasileiro 2010, que revela: o número de pessoas que fizeram pelo menos uma viagem pelo Brasil nos últimos dois anos aumentou 83% em relação a 2007;

·       um dos mais importantes prêmios do setor de turismo mundial, entregue em Londres em novembro de 2009, o World Travel Award, elegeu o Rio o melhor destino da América do Sul e o Amazonas o melhor destino verde.

·           53,7% dos turistas tiveram suas expectativas totalmente correspondidas;

·           38,9% dos turistas têm renda superior a dez salários mínimos;

·          a Bahia é o principal destino escolhido (11,6%), seguida por São Paulo (10,9%), Rio de Janeiro (9,4%) e Santa Catarina (9%);

·           os principais motivos para a escolha do destino são as belezas naturais (33,9%) e a praia (21,2%).

·      segundo pesquisa realizada com turistas estrangeiros, o melhor do Brasil é:

ü   povo brasileiro (45%);

ü   belezas naturais (23%);

ü   praias (18%);

ü   clima (14%);

ü   diversidade (9%).

·      entre as cidades mais lembradas estão Rio de Janeiro (45%), São Paulo (16%) e Salvador (5%).

·      os símbolos do País mais destacados pelos estrangeiros foram:

ü   a bandeira nacional (24%);

ü   Cristo Redentor (17%)

ü   futebol (7%);

ü   Corcovado (6%);

ü   Pão de Açúcar (6%).

·    o aumento verificado no ano de 2010 no movimento de passageiros indica uma mudança de patamar nos movimentos operacionais da rede  INFRAERO, haja vista o crescimento de 19% no ano de 2010 em relação aos  crescimentos de 17%, 3,3% e 9% para os anos de 2009, 2008 e 2007 respectivamente.

 

Ano

Regular

Total

Acréscimos

 

Doméstico

Internacional

Geral

 

2006

84.548.978

11.347.604

95.896.582

0

2007

93.096.063

11.811.455

104.907.518

9%

2008

95.688.193

12.729.272

108.417.465

3,3%

2009

110.801.414

12.715.061

126.237.467

17%

2010

134.833.753

15.403.714

150.237.467

19%

 

·        R$ 3,8 bilhões em financiamentos foram liberados pelos bancos públicos federais de jan/09 a ago/09. No mesmo período em 2008 foram liberados R$ 2,4 bilhões;

·        os financiamentos são destinados a capital de giro e a investimentos em implantação; reformas; modernização e aquisição de máquinas e equipamentos turísticos;

·        a Caixa ofertou o maior volume de recursos de 2009, cerca de R$ 1,9 bilhão, seguida pelo Banco do Brasil, com R$ 1,7 bilhão;

        O Banco do Nordeste liberou R$ 87,5 milhões, o Banco da Amazónia R$ 38 milhões e o BNDES R$ 45 milhões.

·        lançada em novembro de 2009 a campanha Se você é brasileiro está na hora de conhecer o Brasil, com divulgação na televisão, internet, revistas, jornais, cinemas, aeroportos e metro;

·        com o foco nas praias brasileiras, a ação pretende estimular as viagens domésticas no País durante as férias.

Londres – Agência Estado de São Paulo – Daniele Milanese

·        apesar de ser considerado o País com a maior riqueza natural do mundo, o Brasil não consegue ser competitivo na indústria de turismo e perde espaço para outras nações.

Problemas de infraestrutura, regulação, violência, falta de mão de obra qualificada e ausência de investimentos acabam se sobrepondo às vantagens das belezas nacionais.

É o que mostra o ranking sobre a competitividade no setor divulgado pelo Fórum Econômico Mundial;

·        o Brasil desbancou todos os 139 países analisados e marcou o primeiro lugar no quesito de riqueza natural, principalmente pela diversidade de espécies animais existentes, com a fauna mais rica do mundo, além do número de lugares considerados patrimônios da humanidade, da quantidade de áreas protegidas e da qualidade do meio ambiente;

·        entretanto, ficou apenas com o 52º lugar na classificação geral no levantamento deste ano, perdendo sete posições na comparação com o ranking anterior, realizado em 2009 - apesar de ter mantido praticamente a mesma nota;

·        as piores avaliações foram obtidas em critérios como:

ü  a infraestrutura de transportes;

ü  a ausência de trabalhadores qualificados;

ü  regras para o estabelecimento de negócios no setor;

·        o Brasil aparece, por exemplo, como um dos países onde mais tempo se leva para abrir uma empresa;

·        o peso do crime e da violência também desfavorece o País;

·        o levantamento mostrou ainda a falta de prioridade dada à indústria de turismo, em razão dos baixos investimentos do governo;

        A rede de transportes continua pouco desenvolvida e a qualidade das estradas, portos e trens precisa de melhorias, diz o estudo;

·       o Fórum Econômico Mundial destaca que a competitividade do Brasil nessa área fica abalada também em razão dos elevados impostos que recaem sobre o transporte;

        O levantamento aponta a alta taxação embutida nas passagens aéreas e as tarifas cobradas pelos aeroportos;

·       dessa forma, o Brasil acabou superado no ranking, por exemplo, pelo México, que subiu oito posições e agora está em 43º;

·       além das riquezas naturais e culturais, o país vem priorizando  o turismo, com uma série de campanhas para atrair visitantes;



© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading