Retrato do Brasil

Capítulos 123456789101112131415

Capítulo II:
Partidos políticos, ações e politicas externas

A seguir, apresentamos alguns aspectos relacionados à política, claro sem o intuito de ser abrangente e polêmico, pois a materia é extensa e específica, porém para a formulação do planejamento estratégico torna-se necessário e  importante que se tenha uma visão ampla do nosso País.

·      a política é denominada arte ou ciência da organização, da direção e da administração de nações ou Estadosa; a aplicação desta arte aos negócios internos da nação (política interna) ou aos negócios externos (política externa);

·    nos regimes democráticos, ciência política é a atividade dos cidadãos que se ocupam dos assuntos públicos com seu voto ou com sua militância.

A democracia, para Norberto Bobbio, caracteriza-se pela constituição pactuada de um conjunto de regras fundamentais que estabelecem quem está autorizado a tomar decisões coletivas e com quais procedimentos.

Tais regras são denominadas por Bobbio como universais e processuais:

·        todos os cidadãos que tenham alcançado a maioridade etária sem distinção de raça, religião, condição econômica e sexo, devem gozar de direitos políticos;

·        o voto de todo o cidadão deve ter igual peso;

·        todos aqueles que gozam dos direitos políticos devem ser livres para votar;

·    devem ser livres também no sentido de que devem ser colocados em condições de escolher entre diferentes soluções;

·        seja para as eleições, seja para as decisões coletivas, deve valer a regra da maioria numérica;

·        nenhuma decisão tomada por maioria deve limitar os direitos da minoria.

Ainda segundo Norberto Bobbio, podemos afirmar que nenhuma profissão é mais nobre que a política porque quem a exerce assume responsabilidades só compatíveis com grandes qualidades morais e de competência.

·     liberdade política deve ser condição elementar para a tomada de decisões, assim como a regra da maioria deve ser aplicada tanto para eleições de governantes quanto para tomada de decisões por colegiados;

·       os indivíduos com incumbência para decidir devem exercer seus direitos políticos livremente assegurados por limites constitucionais, tais como os direitos de liberdade de opinião e manifestação, de reunião, de associação, de religião e até mesmo de escolher qual é a orientação de sexualidade que pretende seguir.

Ainda segundo Norberto Bobbio:

·       em um regime democrático é imprescindível que haja mecanismos de ampla divulgação das normas que regem o processo governamental de modo que o poder possa, em decorrência da proximidade espacial entre governante e governado, ser controlado e fiscalizado pelo povo.

·       a evolução tecnológica permite aos cidadãos maior controle sobre os governantes, mas também ao contrário: a tecnologia possibilita o máximo controle dos cidadãos por parte de quem detém o poder.

·       o crescente desinteresse pela participação política revela que as questões políticas não são prioridade para relevante parcela do eleitorado, pois outros atrativos veiculados pela mídia de comunicação ocupam lugar de destaque.

·    essa renúncia à participação política demonstra que "a própria representatividade dos eleitos fica fragilizada quando se sabe que um percentual elevado de brasileiros mostra total desinteresse pelo direito de participar diretamente da escolha dos governantes".

·       Norberto Bobbio assevera, entretanto, que a educação para a cidadania é também mais uma promessa não cumprida pela democracia.

·    para o mestre italiano, cidadãos ativos não são aqueles que estão preocupados apenas com seus interesses particulares ou com as vantagens pessoais que do sistema político podem extrair, mas sim aqueles "potencialmente empenhados na articulação das demandas e na formação das decisões" .

·       a atividade política só se justifica se o político tiver espírito republicano, ou seja;

ü      se suas ações, além de buscarem a conquista do poder, forem dirigidas para o bem público, que não é fácil definir, mas que é preciso sempre buscar.

·       um bem público variará de acordo com a ideologia ou os valores de cada político, mas o qual se espera que ele busque com prudência e coragem;

·       a ética da política não pode ser diferente da ética da vida pessoal;

·       além de não distinguir, de qualquer forma, os demais membros da sociedade, deve ser capaz de mostrar à esses membros que assume a responsabilidade pela consecução deste objetivo;

ü      exerce assim, o que se convencionou chamar da "ética da responsabilidade";

·       e a ética da responsabilidade leva em consideração as consequências das decisões que o político adota;.

·       em muitas ocasiões, o político pode ser colocado frente a dilemas morais para tomar decisões:

ü     mas, o político ciente de sua obrigação com a ética da responsabilidade, sabe que não deve subverter seus valores e, muito menos, aqueles que apresentou para seus eleitores.

·         o Brasil tem hoje uma democracia que se consolida, alicerçada em instituições sólidas, um ambiente político estável e garantidor do estado de direito individual;

·         nos últimos 25 anos prevaleceu a normalidade democrática, com uma sequência de cinco processos eleitorais presidenciais regulares;

·         foram eleitos presidentes de diferentes matizes ideológicos e partidários, que cumpriram integralmente seus mandatos e colocaram ênfase no processo de:

ü   controle da inflação;

ü   aprimoramento da educação;

ü   gestão macroecônomica eficiente;

ü   melhoria no ambiente de negócios;

ü   redução das desigualdades sociais.



© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading