Saneamento e recursos hídricos

Capítulos 12345678910

Capítulo VIII:
Companhias e agências reguladoras federal, estadual e munícipal de saneamento básico

A seguir apresentamos uma relação das companhias de água e esgoto, e que a medida do possível  será complementada.
As informações obtidas através dos sites das empresas representam o esforço que nosso país está proporcionando para que se possa atingir as metas estabelecidas pela ONU, conforme descrevemos em seções anteriores.
 

AGESPISA/PI

A AGESPISA (Águas e Esgotos do Piauí S.A.) é uma sociedade de economia mista, pessoa jurídica de direito privado, que tem o Governo do Estado do Piauí como acionista majoritário.

Foi criada através das leis estaduais n.º 2.281, de 27 de julho de 1962 e 2.387, de 12 de dezembro de 1962 e tem como objetivo executar a política de abastecimento de água e de esgotamento sanitário do Piauí.

A AGESPISA sucedeu o Instituto de Águas e Energia Elétrica (IAEE).

A constituição da empresa ocorreu em Assembleia Geral realizada em 28 de janeiro de 1964, quando passou a coordenar e dirigir a aplicação de recursos oriundos do DNOCS, da SUDENE e de empréstimos do BID, para a conclusão da 2ª etapa do projeto do sistema de abastecimento de água de Teresina, iniciado em 1961.

Os órgãos de deliberação superior da AGESPISA, definido em seu estatuto social são: Assembleia Geral dos Acionistas, Conselho de Administração e Diretoria Executiva.

As contas da empresa são fiscalizadas por um Conselho Fiscal, pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí e Pela Auditoria Geral do Estado.

CAEMA/MA

Dos 217 municípios do Estado, a CAEMA atende com água tratada 156 sistemas de abastecimento de água, sendo 136 em sedes municipais e em povoados.

Em termos de esgotamento sanitário, a CAEMA atende dois municípios: São Luís e Imperatriz. Ao todo são 260.379 ligações domiciliares no interior e na capital, 203.166 ligações domiciliares que atendem uma população total de 2.085.953.

Em 40 anos de trabalho a CAEMA conseguiu um grande avanço no Maranhão em termos de saúde preventiva.

No ano de sua criação, apenas 4% da população dispunha de água potável e 1,4% de rede coletora de esgotos sanitários.

Isso significa que dos 128 municípios existentes em 1966, apenas 9 possuíam sistema de abastecimento de água.

Hoje, 74% da população do Maranhão recebe água tratada em suas residências e 19,7% dispõe de rede coletora de esgotos sanitários.

Em São Luís, a CAEMA abastece 931.191 habitantes, num percentual de 91%. Em relação à coleta de esgotos, são beneficiados 387.000 pessoas, representando 38,6% da população da capital.

CAERN/RN

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN) foi criada em 2 de setembro de 1969.

A empresa incorpora e põe em prática sua missão de atender toda a população do Rio Grande do Norte com água potável, coleta e tratamento de esgotos.

O objetivo da empresa é contribuir para a melhoria da qualidade de vida de seus usuários, com postura empresarial adequada e inovadora, integrada aos demais setores de saneamento básico e respeitando os fatores sócio-econômicos e ambientais.

A CAERN possui 165 sistemas de abastecimento de água distribuídos em 152 sedes de municípios e 13 localidades.

No RN são 40 sistemas de esgoto em 39 municípios e 1 localidade (Praia de Pipa).

Apenas 15 cidades do Estado possuem sistemas de abastecimento de água que não pertencem a CAERN.

Assim como a distribuição de água, a CAERN está investindo em qualidade de vida através de saneamento básico.

O aumento na coleta de esgotos vem gerando mais saúde e satisfação nos locais que recebem as obras da Companhia.

CAERR/RR

Fundada em 04 de março de 1969, a Companhia de Água e Esgoto de Roraima- CAER, foi implantada com pouco mais de 50 funcionários, 3 veículos e apenas 2 poços semi-artesianos em operação.

O prédio tinha 520 metros quadrados e tudo funcionava de forma manual.

Decorridos 40 anos, a CAER dispõe de 399 colaboradores e frota de 50 veículos.

A Companhia possui um moderno sistema de captação superficial do Rio Branco, 113 poços em funcionamento no interior e 80 em Boa Vista, duas grandes estações de tratamento de água na capital e outra em construção.

A sede tem mais de 9 mil metros quadrados e sistema de gestão totalmente informatizado.

A CAER atende mais de 350 mil pessoas em todo o Estado, está presente nos 15 municípios e em mais 62 localidades.

No interior, possui uma rede de distribuição com cerca de 474 km, e em Boa Vista estão implantados 1.047 km de rede de distribuição, atendendo a 97% da capital com água tratada.

“Contando com investimentos do Governo Federal e Governo do Estado, são mais de R$ 270 milhões em saneamento básico, em pouco tempo Boa Vista deverá alcançar 100% da população com água tratada e 60% com coleta e tratamento de esgoto.

CAESB/DF

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal - CAESB é uma empresa pública de direito privado, regida pela Lei das Sociedades Anônimas.

A CAESB poderá desenvolver atividades nos diferentes campos de saneamento, em quaisquer de seus processos, com vistas à exploração econômica, planejando, projetando, executando, ampliando, remodelando, administrando, operando e mantendo os sistemas de abastecimento de água; de coleta, tratamento e disposição final de esgotos sanitários.

A Companhia tem competência para desapropriar, desocupar, recuperar, isolar, proteger e conservar áreas de preservação de mananciais utilizados ou reservados para fins de abastecimento público, bem como para controlar as ações poluidoras de suas águas, inclusive além dos limites de sua concessão, nas hipóteses em que tenha concorrido para tal.

A Companhia é também autorizada a participar de empreendimentos de múltiplas finalidades, visando ao progresso sócio-econômico das áreas de sua atuação, podendo constituir e/ou subscrever capital de outras sociedades, inclusive subsidiárias, consorciar-se com outras empresas, na forma da Lei.

Atualmente, a CAESB atende 2,17 milhões de pessoas com serviços de abastecimento de água e 2,03 milhões com serviços de esgotamento sanitário, o que corresponde, respectivamente, a 99% e 93% da população regularmente instalada no Distrito Federal.

Quanto ao esgotamento sanitário, a Companhia trata 100% dos esgotos coletados.

CAGECE/CE

2009– 2010

Em 2009, a Companhia recebeu vários prêmios e foi reconhecida nacionalmente como uma das melhores prestadoras de serviços públicos do país em inovação e qualidade. Recebeu o prêmio Nacional de Conservação e Uso Racional de Energia do Ministério das Minas e Energia/Eletrobrás.

No mesmo ano, conquistou a faixa prata do Prêmio Ceará de Gestão Pública (PCGP); três unidades de negócio da Capital venceram o prêmio PNQS na categoria prata e uma unidade de negócio do Interior na categoria bronze.

A CAGECE ficou entre as dez melhores organizações públicas do Brasil na classificação do Prêmio Nacional da Gestão Pública (PQGF).

Já em 2010, além de grandes investimentos na ampliação das redes de esgoto, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) foi eleita a quarta melhor empresa de saneamento do Brasil e a primeira do Nordeste, apontada pelo Instituto Trata Brasil.

A cobertura de esgoto no Ceará cresceu de 35,85% em dezembro de 2009 para 37,23% no final de 2010.

Atualmente, 1.897.270 cearenses estão ligados à rede de esgotamento sanitário da Companhia. O acesso à água também aumentou neste ano, passando de 97,26% para 97,59%.

A Empresa é atualmente uma referência nacional no segmento de saneamento básico.

Hoje tem certificação ISO 9001:2000 em 23 de suas Unidades, sendo a Estação de Tratamento de Água da ETA Gavião; o Controle de Qualidade da Água e Efluentes do Laboratório Central; Tratamento e Controle de Qualidade da Água das ETA's Poty (Crateús), Jaburu (Tianguá), Maranguape, Itapipoca (I e II) e Russas; Calibração e Manutenção de Medidores do Laboratório de Hidrometria e mais 14 lojas, sendo duas no Interior.

A cada ano a CAGECE expande seus serviços e fortalece o desempenho na busca da universalização dos serviços de água em todo Estado. A empresa trabalha com planejamento estratégico focado nos resultados.

CAGEPA

Criada em 30 de dezembro de 1966, a Companhia de Águas e Esgotos da Paraíba (CAGEPA) é responsável pelo abastecimento de água em 181 municípios e 22 localidades.

A empresa também é responsável pela coleta de esgotos em 22 municípios.

Detentora de um patrimônio avaliado em R$ 389 milhões, tem como acionista principal o Governo do Estado, dono de 99,9% de seu Capital Social.

Os outros 0,1% são distribuídos entre Prefeitura de Campina Grande, Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) e Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS).

O atendimento nos municípios é feito através das Gerência Regionais espalhadas pelo Estado. São elas, a do Litoral, com sede em João Pessoa; Brejo, em Guarabira; Borborema, em Campina Grande; Espinharas, em Patos; Rio do Peixe, em Sousa, e Alto Piranhas, em Cajazeiras.

A diretoria da CAGEPA definiu procedimentos para a melhor execução dos projetos definidos como metas. Para isso, vem implementando junto aos colaboradores da empresa princípios que visam a descentralização, com autonomia das decisões; o fortalecimento das Gerências Regionais para que tenham forte atuação na administração dos recursos hídricos das suas regiões; a implementação de um novo relacionamento com prefeitos de quem o poder é concedente, e a transparência, controle e acesso aberto às informações.

CASAL/AL

Esgoto Sanitário da Cidade de Maceió

O sistema coletor de esgotos sanitários na cidade de Maceió atinge cerca de 170.000 habitantes, ou seja, em torno de 27% o da população da cidade.

Se o índice percentual é pequeno, não se pode deixar de verificar que as condições topográficas e geológicas da cidade, analisadas sob o aspecto de disposição de esgotos, não estão a exigir uma cobertura total, pelo menos no momento.

Podemos afirmar que com a conclusão das obras do PAC “1” que estão sendo realizadas sob o gerenciamento da SEINFRA. Esse índice de cobertura deverá atingir a 40% aproximadamente.

Esta afirmação pode ser compreendida quando verificamos que toda a área alta de Maceió (Farol / Tabuleiro), que representa parte considerável da zona urbana, tem solo silto-arenoso de boa absorção, com nível freático além de 50 m de profundidade, tornando a solução individual fossa/sumidouro uma opção recomendável para baixos níveis de densidade demográfica.

Evidentemente, nas zonas baixas, com lençol próximo a superfície e nas altas taxas de população urbana, a rede coletora apresenta-se como solução mais adequada senão única. Bacias de Esgotamento

Maceió possui três bacias de esgotamento:

Bacia Sudoeste (Lagunar)

Envolvendo a faixa lagunar da Mundaú, desde as cabeceiras ao norte da cidade, acima da região denominada Clima Bom, até a faixa costeira das praias do Pontal e Sobral, tendo como limite sudeste a Av. Durval de Góes Monteiro;

Bacia do Reginaldo/Salgadinho

Vai desta vertente citada, no sentido longitudinal do vaie do córrego de mesmo nome, até sua foz, na praia da Avenida, tendo como limite ao norte o Loteamento Palmares e os Conjuntos Simol e Benedito Bentes, e a sudeste a vertente da Avenida Comendador Gustavo Paiva;

Bacia Sudeste ( da Pajuçara)

Vai desta vertente ate a faixa costeira das praias da Avenida (acima da foz o Reginaldo), Porto de Jaraguá e praias de Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca, Cruz das Almas e Jacarecica.

CASAN/SC

A CASAN atua por meio de convênios de concessão firmados com as prefeituras municipais.

Na atualidade os serviços prestados pela empresa cobrem quase todo o Estado de Santa Catarina, que está dividido em três Superintendências Regionais de Negócios, a saber: Sul/Leste, Norte/Vale do Itajaí e Planalto/Oeste.

As ações desenvolvidas pela empresa, neste período contribuíram para a evolução da qualidade de vida da população de Santa Catarina, apresentando um quadro que evolui de maneira favorável e consolidada.

Sua atuação é fator preponderante no desenvolvimento econômico e social em sua área de concessão, que contemplaremos de forma mais clara nos indicadores de desempenho CASAN.

CEDAE/RJ

A CEDAE opera e mantém a captação, tratamento, adução, distribuição das redes de águas e coleta, transporte, tratamento e destino final dos esgotos gerado dos municípios conveniados do Estado do Rio de Janeiro.

Abastece atualmente uma população de mais de nove milhões de pessoas e efetua esgotamento sanitário para uma população de mais de cinco milhões de pessoas, considerando uma taxa de ocupação de 3,61 pessoas por domicílio.

Tem um faturamento mensal de cerca de R$ 318.000.000,00. Atende 65 dos 92 municípios do Estado com abastecimento de água e 17, com rede de esgoto.

Entre os anos de 2007 e 2009 foram renovados 32 convênios com municípios fluminenses, todos assinados em conformidade com as regras definidas na Lei Federal n° 11.445/07 que estabelece as diretrizes nacionais para o nosso segmento de atuação.

A CEDAE realiza vários projetos, para garantir água de qualidade, saúde e conforto ao seu mercado consumidor.

A pré-operação do sistema de tratamento secundário de esgoto da Estação Alegria no bairro do Caju, já reduz em 98% as impurezas dos esgotos que chegam à Baía de Guanabara.

Foi ampliada a capacidade da rede coletora para 2.500 litros de esgotos por segundo, o que permite o aumento da quantidade de esgotos tratados do município do Rio de 40% para 60%, sendo esta a maior e mais importante obra do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara (PDBG).

Com a Estação Barra da Tijuca, os esgotos são lançados no emissário submarino da Barra. Hoje a estação trata 1,4 mil litros de esgotos por segundo, mas possui capacidade final de tratar até 5,3 mil, volume suficiente para atender ao desenvolvimento urbano da região pelas próximas décadas.

A conclusão da ETE Barra representa um grande avanço para o Programa de Saneamento da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Jacarepaguá (PSBJ), que está investindo cerca de R$ 600 milhões do Fundo Estadual de Conservação Ambiental (FECAM), programa este alinhado à infraestrutura necessária à realização das olimpíadas RIO 2016.

ela primeira vez nos últimos 10 anos, as águas da Lagoa Rodrigo de Freitas estão próprias para a prática de esportes, com segurança sanitária segundo análise do Instituto Estadual do Ambiente (INEA).

A CEDAE atua intensamente no programa de reforma das elevatórias de esgotos que formam o cinturão da Lagoa e elimina várias ligações clandestinas de esgotos desse importante cartão de visita da cidade do Rio.

Essa melhora na qualidade da água da Lagoa já atende às exigências do Comitê Olímpico Internacional (COI) para abrigar as competições dos Jogos Olímpicos de 2016.

No que tange ao relacionamento com os clientes, a CEDAE implementa constantes melhorias nas agências de atendimento comercial para oferecer maior conforto e rapidez, com reformas e construções de novos espaços.

Pesquisa de qualidade realizada pelas agências de atendimento apontou uma satisfação acima de 80% entre os clientes.

A Universidade Corporativa (UniverCEDAE) tem capacidade permanente de treinar até 500 colaboradores-alunos/dia e abriga um Espaço Cultural, com exposição permanente sobre a história do abastecimento do Rio de Janeiro.

Em dezembro de 2009 foram distribuídas as cotas do Fundo Imobiliário para a construção da nova sede da empresa que vai agrupar toda a parte administrativa num mesmo prédio, já no 1º semestre de 2011.

Isso sugere um novo patamar na imagem da CEDAE frente ao mercado. As cotas foram vendidas em menos de 15 dias totalizando R$ 68 milhões.

A CEDAE tem consciência do contexto no qual está inserida, e, por conta disso, realiza várias ações no âmbito social e de meio ambiente com o objetivo de promover uma melhor qualidade de vida para a sociedade.

Projetos como a produção de biocombustíveis, o “Replantando Vida” e o “CEDAE Educação Ambiental para Escolas” vêm sendo reconhecidos em todo o cenário nacional, e internacional, com a entrada da Estação de Tratamento de Águas do Guandu (ETA Guandu) para o Guinness Book of Records.

CESAMA/ Juiz de Fora

 

CESAMA em números

Índice de atendimento à população

Água Tratada: 98,89% / Coleta de Esgoto: 98,09%

Número de Ligações

118.355 ligações de água / 116.631ligações de esgoto

Volume de água consumido (micromedido)

2.387.945 m³ médio/mensal

Volume de água macromedido

3.376.155 m³ médio/mensal

Volume de água produzido

3.376.155 m³ médio/mensal

Volume de água fluoretada

.962.223 m³ médio/mensal

Economias Água

204.407 Unidades

Economias Esgoto

202.746 Unidades

CESAN/ES

A CESAN é uma empresa de economia mista, enquadrada no regime jurídico de direito privado como sociedade anônima, criada pela lei 2.282, alterada pela lei 2.295, em 1967. Sua primeira diretoria tomou posse em 25 de janeiro de 1968. A Companhia foi regulamentada pelo Decreto 2575, de 11 de setembro de 1967.

O trabalho da empresa consiste na captação, no tratamento e na distribuição de água e na coleta e no tratamento de esgoto.

Suas atividades compreendem ainda a realização de estudos, projetos e execução de obras relativas a novas instalações e ampliação de redes.

Cabe à Agência Reguladora de Saneamento Básico e Infraestrutura Viária do Espírito Santo (Arsi) estudar a recomposição do poder aquisitivo da Receita aos níveis inflacionários, bem como repasse dos custos não administráveis, e ainda identificar os Custos dos Serviços, voltados a um reposicionamento tarifário em outro patamar e capaz de consolidar metas previstas de expansão dos serviços para o período.

CESAN está presente em 52 dos 78 municípios do Espírito Santo, sendo 7 na Região Metropolitana da Grande Vitória e 45 no interior.

COMPESA/PE

A COMPESA foi constituída pela Lei Estadual nº 6.307, de 29 de julho de 1971.

A COMPESA rege-se pela legislação geral que lhe é aplicável, por seus estatutos sociais, por este Regulamento Geral, por seu regimento interno e pelos atos administrativos, normas e instruções que adotar.

Natureza e Vinculação

A COMPESA é uma sociedade anônima brasileira, de economia mista, fechada de capital autorizado, de utilidade pública, dotada de personalidade jurídica de Direito Privado - sendo o Estado de Pernambuco o seu maior acionista, executora da política de saneamento e concessionária dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no âmbito do Estado de Pernambuco.

A COMPESA é vinculada à Secretaria de Recursos Hídricos do Estado de Pernambuco.

COPASA/MG

Abastecimento de Água

Números

Nº de Municípios com Concessões de Serviços (1)(3)

615

Nº de Municípios com Prestação de Serviços (1)(3)

603

População Atendida (1.000 habitantes) (2)(3)

13.157

Unidades Abastecidas (economias faturadas)(3)

4.253.301

Extensão de Redes (Km)(3)

43.544

(1) Inclui sedes, vilas, povoados e outros

(2) População conectada à rede de água

(3) Dados consolidados (inclui as localidades operadas pela subsidiária Copanor).

Posição: Dezembro/2010

 

COPASA em números


Esgotamento sanitário

Números

Nº de Municípios com Concessões de Serviços (1)(3)

213

Nº de Municípios com Prestação de Serviços (1)(3)

161

População Atendida (1.000 habitantes) (2)(3)

7.782

Unidades Abastecidas (economias faturadas)(3)

2.351.650

Extensão de Redes (Km)(3)

17.052

Inclui sedes, vilas, povoados e outros

População conectada à rede coletora de esgoto

Dados consolidados (inclui as localidades operadas pela subsidiária Copanor).

Posição: Dezembro/2010

  

CORSAN/RS

A Companhia Riograndense de Saneamento foi criada em 21 de dezembro de 1965 e oficialmente instalada em 28 de março de 1966, sendo esta a data oficial de sua fundação. O desafio de proporcionar ao Rio Grande do Sul e a sua população melhor qualidade de vida foi enfrentado pela empresa que surgia. E a imagem do aguadeiro, que precariamente abastecia as populações no início do século, ficou definitivamente na história.

Atualmente, a CORSAN abastece mais de 7 milhões de gaúchos. Isto representa 2/3 da população do Estado, distribuídos em mais de 321 localidades.

DAERP/Ribeirão Preto

Criado em 1969, o DAERP - Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto – é uma autarquia que administra com exclusividade os serviços de abastecimento água, esgotos e limpeza pública no município, atendendo uma população de mais de 500 mil habitantes.

Ribeirão Preto tem o maior percentual de saneamento básico entre as cidades com mais de 500 mil habitantes do Estado de São Paulo. Dados do último Censo do IBGE - Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostram que nosso município tem 96,3% dos domicílios com saneamento. Isto significa que 141.310 casas (incluindo favelas) possuem água encanada, coleta de lixo e de esgoto.

Ribeirão Preto é também um exemplo no manejo dos resíduos sólidos urbanos. O município recebeu nota 9,8 no Índice de Qualidade de Resíduos, divulgado em maio de 2004 pela CETESB – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental

Estes números mostram a relevância do trabalho realizado pelo DAERP para garantir a qualidade de vida e a saúde da população, bem como a preservação do meio ambiente.

EMBASA/BA

A Empresa Baiana de Água e Saneamento S.A. – Embasa - é uma sociedade de economia mista de capital autorizado, pessoa jurídica de direito privado, tendo como acionista majoritário o Governo do Estado da Bahia.

Foi criada em 11 de maio de 1971 pela Lei Estadual 2.929 e incorporou, em 1975, como subsidiárias, as companhias até então responsáveis pela prestação dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário de Salvador e do interior do estado, as extintas COMAE e COSEB.

A Embasa atende prioritariamente a população urbana de sua área de atuação, bem como uma parcela considerável da população rural localizada nas proximidades das cidades e dispersas ao longo de sistemas integrados.

Ao todo, são 11,3 milhões de pessoas atendidas com abastecimento de água e 3,6 milhões com esgotamento sanitário até novembro de 2010, pois a tendência deste número é crescer à medida que a Embasa vai aumentando a cobertura de seu atendimento.

A empresa opera 406 sistemas de abastecimento de água, dos quais 104 são sistemas integrados e 302 são sistemas locais, atendendo 532 localidades do meio urbano e 285 do meio rural com água tratada. Com esgotamento sanitário, 72 sistemas atendem 83 localidades na Bahia, sendo 78 na zona urbana e cinco na zona rural.

As localidades atendidas com abastecimento de água estão situadas em 358 do total de 417 municípios baianos. De 2007 a 2010, o número de localidades atendidas com esgotamento sanitário subiu 21,4%.

SABESP/SP

A Sabesp é responsável por planejar, executar e operar serviços de saneamento básico em todo o território do Estado de São Paulo, compreendendo a captação, tratamento e distribuição de água e a coleta, afastamento, tratamento e disposição final de esgotos.

A Sabesp é uma empresa de economia mista responsável pelo fornecimento de água, coleta e tratamento de esgotos de 364 municípios do Estado de São Paulo.

Desde 2002 a Sabesp possui ações negociadas nas Bolsas de Valores de São Paulo e Nova Iorque.

Em número de clientes, pode ser considerada como uma das maiores empresas de saneamento do mundo.

São 27,1 milhões de pessoas atendidas, quase duas vezes a população da Bélgica.

Para oferecer serviços de qualidade, mantém uma gigantesca estrutura e nos últimos cinco anos investiu aproximadamente R$ 5 bilhões.

De 2009 a 2013 serão investidos R$ 8,6 bilhões para manter os índices alcançados, ampliar a coleta e tratamento de esgotos e oferecer:

100% de água tratada; 90% de esgotos coletados e 88% de tratamento de esgotos

Novos rumos - Além dos serviços de saneamento básico no Estado de São Paulo, a Sabesp está habilitada a exercer atividades em outros Estados e países e atuar nos mercados de drenagem, serviços de limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos e energia.

A Sabesp também ampliou sua plataforma de soluções ambientais.

Assim, grandes clientes podem se beneficiar dos seus conhecimentos e da tecnologia para uso racional da água, destinação adequada dos esgotos e preservação do meio ambiente.

SAEE/Guarulhos

Sob a forma de autarquia municipal, com personalidade jurídica de direito público, sede e foro na cidade de Guarulhos, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Guarulhos foi criado em 30 de junho de 1967 com a força da Lei no 1.287.

Dispondo de autonomia administrativa, financeira e patrimonial, dentro dos limites estabelecidos em lei, o SAAE concentra hoje em seu quadro 1.315 funcionários.

No ano de 2011, O SAEE de Guarulhos tem 406 km de redes e 100.034 ligações de água e investiu R$ 141 milhões de reais em moeda atual e com relação ao esgoto tem 430 km de redes e 52.000 ligações e investiu R$ 364 milhões de reais.

SAMAE/Caxias do Sul

Com mais de 400 mil habitantes, e com significativo aumento populacional que o município vem sofrendo, tornou-se necessário aumentar a geração dos recursos hídricos.

Pensando nisso, a Prefeitura de Caxias do Sul, por meio do SAMAE precisou tirar do papel o projeto da década de 60 referente à Barragem do Marrecas.

O novo sistema de abastecimento está sendo construído em Vila Seca e beneficiará cerca de 250 mil pessoas.

O Marrecas será um manancial que aliviará as exigências dos sistemas atuais e garantirá o abastecimento por mais alguns anos.

É um complexo sistema que envolve a construção de uma Barragem, Estação de Tratamento de Água, Adutora de Água Tratada e um Centro de Reservação de Chegada.

O Sistema está previsto para ser entregue à comunidade em 2012.

A Administração também está desenvolvendo um amplo plano de despoluição dos arroios que passam pela cidade.

Um grande exemplo disso é o ambicioso Plano de Despoluição do Arroi Tega. Caxias está dando um passo concreto rumo à reintegração do Tega à paisagem urbana.

A obra integra um conjunto de investimentos destinados ao saneamento.

Também estão em implantação os Sistemas Pinhal, Belo, Pena Branca e Samuara.

Ao final do trabalhos, a meta é tratar 86% do esgoto da população caxiense, superando o índice atual de 15%.

SANASA/Campinas

A SANASA, sigla da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A é uma empresa de economia mista, cujo acionista majoritário é a Prefeitura Municipal de Campinas.

Ela é responsável pelo serviço de abastecimento de água (captação, adução, tratamento, reservação e distribuição de água potável), coleta, afastamento e tratamento dos esgotos domésticos do município de Campinas.

Campinas capta água dos Rios Atibaia e Capivari. O Rio Atibaia abastece 95% da cidade e o Rio Capivari 5%.

O Rio Atibaia é formado pelos Rios Atibainha e Cachoeira, na cidade de Bom Jesus dos Perdões.

O Rio Capivari nasce em Louveira e passa pelas cidades de Campinas, Monte Mor, Rafard, Mombuca e Capivari.

Atualmente a SANASA atende com água potável encanada 98% da população urbana de Campinas através de 5 estações de tratamento (ETA 1 e 2 na Swift, ETA 3 e 4 na estrada de Sousas, com água captada no Rio Atibaia, e a ETA Capivari, junto a Rod. dos Bandeirantes com água proveniente do Rio Capivari).

O conjunto de estações de tratamento de água tem capacidade de produção de até 4530 l/s.

O volume médio anual de água potável produzido é da ordem de cem milhões de metros cúbicos transportado por mais de 3.884 km de adutoras e redes de distribuição e reservado em 69 reservatórios dispersos pela cidade (25 elevados e 44 semi-enterrados) com capacidade total de 122 milhões de litros.

O número de ligações prediais atendidas pela rede pública de distribuição é de 227 mil, todas equipadas com medidores (hidrômetros).

Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a SANASA atende atualmente 88% da população urbana de Campinas com coleta de 210 mil ligações e correspondente a afastamento através de 3112 km de redes, emissários e interceptores.

Entretanto o grande desafio de Campinas é o tratamento dos esgotos.

A grande maioria da carga dos esgotos sanitários, mesmo aquela coletada e afastada pela rede pública vem sendo lançada em córregos e ribeirões que atravessam a área urbana, comprometendo os demais usos da água disponíveis para a população assentada a jusante, e a qualidade ambiental da região.

A partir de um Plano Diretor de Tratamento de Esgoto desenvolvido pela SANASA, tomando como partido a divisão da área urbana em 3 grandes bacias naturais de drenagem (Atibaia, Quilombo e Capivari), cada uma deles foi subdividida em setores de esgotamento, contemplando cada um com unidades de tratamento

SANEAGO/GO

A SANEAGO tem 3 sistemas de abastecimento de água: Noroeste com 146.000 ligações de água e 2.967512 m de redes, Nordeste com 355.647 ligações e 5.754.614 m de rede, finalmente o Sul com 197.214 ligações e 3.323.074 m de rede, perfazendo o total de ligações de água de 699.495, e de redes 12.045.200 m;



© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading