Planejamento estratégico e plano de negócios

Capítulos 12345

Capítulo I:
Introdução, processos, formulação das estratégias, ciclo de vida de um projeto, plano econômico e indicadores, diagnóstico e exemplos

No campo empresarial, a estratégia representa o conjunto de objetivos, fins ou metas, além das políticas e dos planos mais importantes para alcançá-los, que devem ser estabelecidos de forma que fique definida em que classe de negócio a empresa vai operar e em que tipo de negócio pretende se fixar.

·         o planejamento estratégico envolve:

ü  uma ampla visão da construção gradual do futuro;

ü  determinação clara dos objetivos a curto, médio e longo prazo;

ü  adoção de alternativas de ações e a sinalização dos recursos necessários para cumprir os objetivos.

·         o planejamento estratégico indica, entre outros, por exemplo:

ü  se a empresa deve prover maiores valores agregados e melhores serviços;

ü  ou criar produtos e serviços de mesmo valor a custo menor, ou ambas as ações;

ü  ou ainda fornecer maiores valores agregados e praticar preços médios mais altos com maior eficiência operacional e com custos médios mais baixos.

·         o planejamento estratégico indica, também, o direcionamento de esforços para pontos comuns, como o entendimento da empresa por todos os funcionários e estabelecimento de uma agenda de trabalho;

·         o planejamento estratégico indica: os componentes técnicos, os custos e as receitas a serem seguidos, desde:

ü  a formulação e concepção do projeto inicial;

ü  a concepção técnica;

ü  a fase de implantação;

ü  a fase experimental de operação;

ü  a fase de operação;

ü  a manutenção operacional;

ü  o monitoramento do planejamento estratégico, por meio de índices de desempenho nas áreas de marketing, comercial, financeira, de engenharia, de produção, de recursos humanos, de suprimentos e de patrimônio.

·         o planejamento estratégico considera a empresa como um todo e para que o resultado seja abrangente tem-se o planejamento tático e o operacional:

ü  o planejamento tático é derivado do planejamento estratégico e tem como objetivo efetivar as ações das áreas a serem trabalhadas, sendo de responsabilidade de níveis organizacionais inferiores;

ü  o planejamento operacional corresponde aos recursos para aplicação do planejamento tático, baseado no estratégico, correspondendo aos procedimentos relacionados a recursos humanos, comercialização, finanças, engenharia, suprimentos e patrimônio.

Uma análise estratégica da empresa deve incluir um misto de objetividade, racionalidade e subjetividade, de tal forma que se possa entender melhor a situação do negócio, eliminado-se as fantasias e tomando-se como base as partes concretas das alternativas. Na análise dos negócios, na formação dos cenários, deve ser dada ênfase à análise do país como um todo, considerando-se as oportunidades e as ameaças, extraindo-se as particularidades do negócio da empresa, o ambiente externo, que inclui os clientes, os concorrentes, os fornecedores, a evolução tecnológica, os parceiros, considerando-se os pontos fortes, neutros e fracos, e o ambiente interno da empresa, que inclui a estrutura existente, o capital, os índices financeiros e econômicos, a qualidade dos serviços, a produtividade, a engenharia, entre outros. 
As estratégias devem ser estabelecidas de acordo com a situação em que se encontra a empresa, o meio ambiente em que atua e um conjunto de fatores que determinam tomadas de posições que nem sempre permeiam de forma tão evidente, e que precisa de um processo de maturação bem detalhado e que pode levar a surpresas que nem sempre saltam aos nossos olhos. 

·      pode ser uma situação adequada como condição mínima para atingir outros objetivos no futuro, como, por exemplo, a volta de maiores lucros, maior participação no mercado, a manutenção de seu acervo técnico;

·      esta situação pode estar diretamente ligada, entre outras, a: má administração de seus recursos técnicos e financeiros, recessão proporcionada por procedimentos governamentais, ingerência da política na estratégia do país;

·      não pode ser encarada por um período muito longo, pois a estagnação pode levar a uma interrupção de suas operações, podendo ser engolida pelo ambiente;

·      a estratégia de sobrevivência, entre outras situações, enquadram:

ü       redução de custos de pessoal, níveis de estoque e de compras;

ü       desmobilização de imóveis, passando para aluguel e equipamentos, passando a leasing ou terceirizando;

ü      redução de lucros - procurar se enquadrar em um nível operacional no qual o lucro seja o mínimo, porém a empresa continua atuando no mercado e demonstrando confiança operacional aos seus clientes;

ü       injeção de capital - os sócios injetam capital para que a empresa não se torne insolúvel;

ü     e, finalmente, a própria venda da empresa para grupos de maior poder antes que caminhe para uma insolvência.

·       é uma postura preferível quando a empresa está enfrentando ou espera enfrentar dificuldades e, a partir dessa situação, toma atitudes defensivas diante das ameaças;

·       esta situação pode estar diretamente ligada, entre outras, a: má administração de seus recursos técnicos e financeiros, dificuldades na colocação de seu produto no mercado, recessão proporcionada por procedimentos governamentais, ingerência da política na estratégia do país;

·       a estratégia de manutenção entre outras situações enquadram:

ü  aspecto financeiro - redução do valor de venda e prazos menores para recebimento das faturas;

ü  concentração da atividade - focar os serviços em menor número possível de atividades;

ü  procurar nichos específicos e de maior especialização técnica.

·      são situações em que as empresas se encontram momentaneamente com pontos fracos e o ambiente proporciona situações favoráveis e a empresa pode transformá-los em oportunidades de crescimento;

·      esta situação pode estar diretamente ligada, entre outras, a: boa administração de seus recursos técnicos, operacionais, financeiros e comercial, mercado emergente, procedimentos normais por parte do governo, menor ingerência da política na estratégia do país;

·      a estratégia de crescimento entre outras situações enquadram:

ü   inovação - antecipação das evoluções tecnológicas de seus concorrentes;

ü   aumentar a produtividade da empresa, colocando produtos mais competitivos no mercado;

ü   formação de consórcios na obtenção de novos mercados.

·       neste caso há uma predominância de pontos fortes da empresa e o ambiente externo proporciona situações de oportunidades;

·       esta situação pode estar diretamente ligada, entre outras, a: situação política e econômica do país estável e com planejamentos estratégicos bem definidos; situação econômica sem a ingerência externa e que fogem ao nosso controle; problemas sociais sendo encarados de frente pela nossa sociedade; atuação dos bancos voltados para a produção, menores desigualdades regionais entre os estados da união;

·       a estratégia de desenvolvimento, entre outras situações, enquadram:

ü      novos mercados - abertura de novos segmentos, expansão em outras regiões geográficas;

ü      diversificação de serviços - escolha de outros nichos de trabalho normalmente mais especializados;

ü    injeção de recursos financeiros - os sócios resolvem investir na empresa, ou apoiar projetos de desenvolvimento;

ü     evolução tecnológica - atuar de forma agressiva na evolução tecnológica de serviços, de equipamentos de sistemas, entre outros;

ü      estabilidade em um patamar superior - corresponde a uma associação de fusão entre empresas e que passam a atuar em patamares mais consistentes;

ü      joint venture - corresponde a uma associação entre diversas empresas para conseguirem um novo tipo de serviço que sozinhas não teriam capacidade econômica e técnica na sua concepção, como é o caso das concessionárias de rodovias, energia e saneamento.



© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading