Holanda reaproveita papel higiênico para fazer asfalto

City Lab
Você consegue imaginar uma estrada cujo asfalto é feito a partir de papel higiênico usado? Os holandeses, conhecidos pelo seu amor pelo transporte de duas rodas, estão fazendo exatamente isso graças a um inovador esquema de reciclagem de resíduos.
Os holandeses supostamente usam cerca de 180 mil toneladas de papel higiênico a cada ano. Duas empresas do país desenvolveram a tecnologia  para transformar esses resíduos em um material de construção rodoviária que está sendo testado na província de Frísia, em um trecho de 1 km da ciclovia que liga a cidade a um município vizinho.
Como funciona?
O papel higiênico passa por uma bateria de etapas dentro de um tratamento de resíduos, onde é filtrado, limpo e esterilizado a temperaturas muito altas. O resultado final é um material esponjoso  que pode ser usado na composição do asfalto. Grande parte do papel higiênico na Holanda é de alta qualidade, o que significa que é rico em celulose, resultando em  um melhor produto final.
A celulose é o principal ingrediente no papel, mas a fibra à base de plantas também possui muitos outros usos industriais. Tratado da maneira normal, o papel higiênico permaneceria na lama e seria queimado na estação de tratamento de resíduos.
“Você remove algo que é um fardo no processo de tratamento de resíduos e o transforma em um produto de alto valor que você pode vender”, disse Carlijn Lahaye, Diretor Gerente da CirTec.
A empresa afirma estar recuperando cerca de 400 kg de celulose por dia. Parte disso é exportado para a Inglaterra, onde é usado como matéria-prima para  produzir um composto biológico. A celulose remanescente também é utilizada para a produção e desenvolvimento de outros produtos.
GCR News
O desafio para a empresa agora será levar para outros locais o modelo desenvolvido na Holanda, mas a previsão é otimista, já que uma série de outros clientes estão interessados em aplicar a tecnologia em uma escala ainda maior.
Apesar de toda a “curiosidade” envolvendo a nova tecnologia, os moradores locais não parecem muito preocupados: “é uma ideia estranha para as pessoas quando descobrem que há papel higiênico na estrada, mas quando eles circulam por lá, podem ver que é um asfalto normal”, disse Michiel Schrier, governador provincial da Frísia.

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading