Estudantes projetam aeroporto conectado a outros transportes para 2050

Trem de alta velocidade, carros e bicicletas seriam conectados ao novo modelo.

Ciclo Vivo
Um novo conceito de aeroporto foi criado por doze alunos da Escola de artes Glasgow, na Escócia. Chamado de “CentAirStation”, ele terá 640 metros de comprimento, 90 metros de largura e quatro andares. Com esse tamanho, ele poderá ser instalado dentro de centros urbanos.
A ideia é aumentar a capacidade do sistema de transporte aéreo e torná-lo mais eficiente conectado com os demais meios de transporte. Dessa forma, o primeiro andar seria destinado à chegada do trem (que idealmente seria de alta velocidade) ou outro meio de locomoção individual, como bicicleta. Cada plataforma seria ligada por escadas rolantes e elevadores. Nos demais, haveria piso para processos específicos da aviação e outro já para os portões de embarque.
Como as passagens de um lugar para outro seriam predominantemente verticais, os passageiros poderiam gastar apenas 15 minutos da chegada do aeroporto até o ponto de decolagem e 10 minutos para sair do prédio na hora do desembarque -, isso é claro sem considerar a “eficiência” das etapas que dependem de funcionários.
“O CentAirStation combinará a funcionalidade de conectar os modos de transporte, por exemplo, trem de alta velocidade, trem suburbano, carros e bicicletas, além de oferecer espaço de construção adicional para instalações não relacionadas ao transporte, como hotéis e escritório”, explicou ao Correio Brasiliense, Kay Ploetner, um dos idealizadores do projeto.
Ploetner é também pesquisador da associação Bauhaus Luftfart, que está por trás do projeto. Sem fins lucrativos, o grupo de pesquisas é focado no futuro da mobilidade, em especial na área da aviação. O especialista reconhece que muito ainda precisa ser feito para começarem a reformular os aeroportos e até aproveitar a infraestrutura já existente. Seu projeto inclusive sugere um novo tipo de aeronave, batizada de CityBird, que se encaixaria perfeitamente no modelo de aeroportos menor, mais eficiente e mais conectado.

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading