A importância da engenharia para fortalecer a economia do Brasil

Engenharia É com informações da Quero Bolsa, com dados do Inep
Todos sabem da importância da Engenharia para fazer o país fortalecer sua economia. Mas, o Brasil tem um deficit educacional muito forte e por isso que essa área sofre, porque os alunos não possuem uma boa base em Matemática no ensino fundamental e médio.
Isso faz com que evitam os cursos de Ciências Exatas, e é difícil escolher engenharia sem essa base. Além disso, em vez de impulsionar o crescimento do País, é a carreira que acaba sendo impulsionada ou não pelos momentos em que a economia vai bem ou mal. 
Ao avaliar dados do Censo da Educação Superior, do Inep, os analistas do Quero Bolsa constataram que os cursos de Engenharia deixaram a terceira posição no ranking de matrículas no Ensino Superior, em 2010, para assumir o primeiro lugar em 2013. Em 2015, pela primeira vez no país, mais de 1 milhão de alunos entraram para os cursos de Engenharia no Brasil.
 
“A quantidade de engenheiros em formação dobrou em cinco anos. Não chegava a meio milhão em 2010. O crescimento econômico atraiu muita gente para a carreira. Agora, aguardamos os próximos dados do Censo para confirmar o quanto a crise, de fato, irá afetar a trajetória da oferta de vagas e das matrículas, uma vez que houve uma leve queda em 2016”, avalia Pedro Balerine, diretor de Inteligência do Quero Bolsa.
Os números levantados pelo Inep nos apresentam que no Brasil possuem 4.193 cursos de Engenharia e 1,004 milhão de alunos matriculados (Censo 2016). No ano anterior havia menos cursos (3.848), mas o total de estudantes era maior (1,010 milhão).
Texto com partes tiradas do artigo “Os Altos e Baixos da engenharia” de Rui Gonçalves – Quero Bolsa.

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading