Interior de SP terá viadutos estaiados de alta complexidade

Em São José dos Campos, projeto assinado pelo engenheiro-projetista Catão Francisco Ribeiro incorpora várias inovações construtivas

Informativo Massa Cinzenta Cimento Itambé
Complexo de viadutos na área urbana de São José dos Campos-SP terá 68 cabos, cada um com cálculo próprio. ?Crédito: prefeitura de São José dos Campos
A cidade de São José dos Campos-SP anuncia o projeto com viadutos estaiados de maior complexidade da engenharia brasileira. Assinado pelo engenheiro-projetista Catão Francisco Ribeiro, que também esteve à frente da ponte da cidade de São Paulo-SP, da ponte sobre o rio Negro, em Manaus-AM, e da ponte Anita Garibaldi, em Laguna-SC – todas estaiadas -, o empreendimento vai incorporar várias inovações construtivas. “Uma das peculiaridades desta obra é que ela terá um arco em curva catenária. Será uma obra de arte especial, que vai melhorar a mobilidade urbana da região”, revela Catão Francisco Ribeiro.
O complexo de viadutos, batizado de Arco da Inovação, terá dois tabuleiros assimétricos e cada um dos 68 cabos ganhará cálculo próprio. Será a primeira estrutura viária com essas características no Brasil. Vistos de cima, os dois viadutos ficarão em formato de “x”, dando acesso a duas das principais avenidas de São José dos Campos-SP. Segundo a prefeitura da cidade paulista, na região em que os viadutos serão construídos passa, diariamente, 61,4 mil passageiros, transportados por 1,3 mil viagens de ônibus, além de 180 mil veículos. O fluxo chega a 300 mil pessoas/dia.
A ponte terá um arco com 100 metros de altura. O viaduto inferior ficará a 6 metros da pista do solo e terá 267 metros de comprimento. Já o viaduto superior ficará 8 metros acima do viaduto inferior, e terá 349 metros de extensão. O ponto mais alto do tabuleiro estará a 77 metros do cume do arco. “O desenho do projeto não leva apenas o aspecto arquitetônico e estrutural em conta, mas a melhor concepção viáriapara quem trafegar pelos viadutos, a fim de que os motoristas ganhem tempo ao passar pelas estruturas”, explica Catão Francisco Ribeiro, que faz questão que toda a obra seja executada em concreto protendido.
Obra deverá ser concluída em 14 meses, a partir da assinatura do contrato
Três consórcios disputam a execução dos viadutos. Um é liderado pela Construtora Queiroz Galvão S/A, outro pelo Contern-Traçado, formado pelas empresas Contern Construções e Comércio Ltda. e Traçado Construções e Serviços Ltda., e o terceiro pelo consórcio Paulitec-Cidade, formado pelas empresas Paulitec Construções Ltda. e Construtora Cidade Ltda. O edital previa um orçamento de R$ 62,9 milhões, mas as ofertas variaram entre R$ 48,7 milhões e R$ 46,8 milhões, o que significa uma economia mínima de R$ 14,2 milhões. O contrato será assinado em 15 de junho.
A expectativa é de que as obras comecem ainda no mês de junho de 2018, com o cronograma prevendo 14 meses para a conclusão do complexo viário. O empreendimento será financiado com recursos de empréstimo junto ao BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). “O projeto da ponte estaiada alinha técnica e estética. O megaempreendimento desponta também como importante símbolo visual de São José dos Campos, já que foi projetado pelo ‘pai das pontes estaiadas’, o engenheiro Catão Francisco Ribeiro”, destaca a prefeitura da cidade paulista.
Entrevistado
Catão Francisco Ribeiro, engenheiro civil e diretor-executivo da Enescil Engenharia de Projetos, e prefeitura de São José do Rio Preto-SP (via assessoria de imprensa)
Contatos
giselle.marinho@sjc.sp.gov.br
eng.projetos @ enescil.com.br
Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading