28 de novembro de 2018

Engenheiros conseguem conter a inclinação da Torre de Pisa, na Itália

Por Jornal Nacional
Por mais de 700 anos, a estabilidade da Torre de Pisa foi um mistério. Hoje, os engenheiros acreditam que a torre estará firme ainda nos próximos 300 anos.

 
 
Depois de mais de duas décadas, deu certo o esforço dos engenheiros para conter a inclinação da Torre de Pisa, na Itália.

Por mais de 700 anos, a estabilidade da Torre de Pisa foi um mistério que intrigou a engenharia e que sempre divertiu os turistas. Nem os terremotos ou as bombas da Segunda Guerra foram capazes de derrubá-la.

No fim do século 20, a torre medieval, símbolo da paisagem italiana, tinha uma pendencia de 4,5 graus e uma chance real de vir abaixo.

O mundo inteiro se preocupou em salvar o campanário da Igreja Santa Maria Assunta, de arquitetura românica, construído entre os séculos 12 e 14 e que ostenta sete sinos com notas músicas. Foi criado um comitê internacional e as obras, para diminuir a sua inclinação, duraram mais de dez anos. Cabos de aço e contrapesos de chumbo na sua base, ajudaram a endireitar a torre. Ela foi puxada para o lado oposto à pendencia, depois de ter o seu terreno escavado.

Para voltar à inclinação de 200 anos atrás, foram usadas até injeções de ar embaixo dela. Agora, quem vai à Praça dos Milagres, em Pisa, na Toscana, vê a torre com uma pendencia de 3,95 graus. Do alto dos oito andares, essa inclinação representa meio metro.

A torre teria até ajudado o cientista Galileu Galilei, que nasceu em pisa, no século 16, a elaborar as teorias dos corpos que pendem. Hoje, os engenheiros acreditam que a Torre de Pisa estará firme ainda nos próximos 300 anos.

Leia na biblioteca do ENGENHARIA COMPARTILHADA:

© 2013 - Todos os direitos reservados DIAGRAMA MARKETING EDITORIAL


Loading