Retrato do Brasil

Capítulos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

Capítulo XIII

Turismo

22.28. Turismo- principais avanços, metas e principais ações

22.28.1. Importância estratégica

Fontes de informações: Secretaria de Assuntos Estratégicos

O desenvolvimento do turismo insere-se na perspectiva de expansão da economia de serviços no mundo e pode ser importante para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, particularmente com relação à erradicação da extrema pobreza e da fome, à garantia da sustentabilidade ambiental e à valorização da diversidade cultural, propiciando o estabelecimento de uma parceria mundial para o desenvolvimento.

A criação de emprego, a geração e a distribuição de renda, a redução de desigualdades sociais e regionais, a promoção da igualdade de oportunidades, o respeito ao meio ambiente, a proteção ao patrimônio histórico e cultural e a geração de divisas sinalizam o horizonte a ser alcançado pelo turismo em 2022.

O que se deseja é que o Turismo no Brasil seja acessível a todos os brasileiros e que contemple as diversidades regionais, configurando-se pela brasilidade, proporcionando a expansão do mercado interno e a inserção efetiva no mundo.

Deve ser encarado como uma ferramenta de inclusão social, tanto pela ampliação dos postos de trabalho quanto pela promoção de oportunidades de conhecimento do País pelos brasileiros.

A gestão do turismo vem sendo implementada de forma participativa, buscando o alinhamento das políticas públicas e dos investimentos privados, o que tem potencializado os resultados da atividade.

Em 2014, o Brasil sediará a Copa do Mundo de Futebol, um dos mais importantes eventos esportivos do mundo.

Em 2016, sediará, no Rio de Janeiro, os Jogos Olímpicos. A dimensão desses eventos aumenta a responsabilidade em estruturar a organização turística para realizá-los adequadamente.

É fundamental que esses eventos resultem em legados à população, tanto pelos efeitos diretos quanto pelos benefícios prolongados do relançamento do País como destino turístico de qualidade.

Quanto melhores forem as condições de vida dos habitantes, melhores serão a vivência e a percepção positiva dos visitantes.

O brasileiro deve ser o principal beneficiado pelo desenvolvimento do turismo no País.

Para isso, são importantes o aumento da oferta e a interiorização dessa atividade para contribuírem para a geração de economia de escala e para a ampliação da participação do turismo no consumo das famílias.

22.28.2. Planejamento estratégico: turismo no Brasil- realizado em 2004

22.28.3. Principais avanços recentes

22.28.4. Metas e ações para o período de 2010 a 2022

22.29. Turismo- perspectivas do mundo e do Brasil

22.29.1. Perspectiva do turismo no mundo

·        Berlim - A Bolsa Internacional do Turismo (ITB), a maior feira do setor no mundo, em 9 de março de 2011, abriu suas portas em Berlim marcada pelo otimismo de uma indústria que considera superada a crise econômica internacional e que espera bater novos recordes de clientes e faturamento neste ano;

·        o turismo pode liderar uma nova década de crescimento justo, forte e sustentável e ser um dos mais efetivos agentes para o desenvolvimento, disse o secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), Taleb Rifai, na abertura da feira;

·        a primeira década do século XXI registrou um extraordinário crescimento do turismo, mas também houve impactos severos: uma década que começou com o 11 de setembro e que acabou com a crise econômica global, avaliou Rifai;

·        além disso, comentou que, atualmente, com um crescimento do número de turistas de 7% em 2010, é o momento de olhar para frente e se perguntar o que a próxima década trará para o setor, e previu um crescimento contínuo;

·        igual otimismo foi manifestado pelo presidente da Confederação da Indústria Turística Alemã (BTW), Klaus Läpple, que antecipou para 2011 um forte crescimento na hotelaria, no transporte aéreo e nas viagens de automóvel;

·        a Bolsa Internacional do Turismo receberá em sua 45ª edição 11.163 expositores de 188 países que mostrarão ao público seus produtos e as últimas tendências nas viagens de lazer;

·       a demanda dos expositores mais uma vez superou amplamente a oferta de espaço da ITB, relatou Christian Göke, diretor da feira da capital alemã, que acrescentou que a indústria internacional do turismo espera números recorde para este ano mais uma vez, mencionando os mercados emergentes como a Ásia, a América Central e o Leste da Europa como os locais mais promissores;

·        o responsável pela organização da ITB calcula que cerca de 100 mil profissionais do setor e 60 mil visitantes comparecerão à feira, reflexo do crescimento e da recuperação de um setor afetado pela recente crise financeira e econômica internacional;

·        Göke comentou que, apesar dos conflitos registrados em vários países árabes, nenhum deles faltará ao evento em Berlim, nem mesmo a Líbia, país para o qual alguns operadores oferecem pacotes de turismo de aventura no deserto;

·        já o Egito, que pela primeira vez contou com um pavilhão exclusivo, terá sua participação triplicada na ITB com relação ao ano passado;

·       outros países com conflitos abertos ou latentes que marcaram a presença em Berlim são Iraque, que retorna à feira pela primeira vez após anos de ausência, e o Paquistão, e também Iêmen, Síria, Tunísia, Marrocos e Argélia;

·        um setor que recebeu novos estímulos na presente edição será o segmento Gay and Lesbian Travel, que estreou no ano passado e que conta com um mercado crescente, sobretudo no Brasil, na Argentina, na Áustria, na Suíça, na Bélgica e em Israel;

·        os 12 mil especialistas que participaram dos simpósios e congressos da ITB trataram também das viagens para jovens, assim como as novas tecnologias, os problemas demográficos, as transformações sociais e a mobilidade do turista, entre outros temas.

22.29.2. Plano Nacional do Turismo

·              lançado em junho de 2007, tem como metas estimular as viagens no mercado interno, criar 1,7 milhão de empregos e estruturar 65 destinos indutores do desenvolvimento regional, com padrão de qualidade internacional;

·        serão investidos R$ 5,63 bilhões em infraestrutura e R$ 1 bilhão na promoção de destinos turísticos no Brasil e no exterior até 2011.

22.29.3. Brasileiros viajam mais pelo Brasil

·       os brasileiros viajaram mais pelo Brasil e avaliaram positivamente o passeio;

·       as conclusões são da pesquisa Hábitos de Consumo do Turismo Brasileiro 2010, que revela: o número de pessoas que fizeram pelo menos uma viagem pelo Brasil nos últimos dois anos aumentou 83% em relação a 2007;

·       um dos mais importantes prêmios do setor de turismo mundial, entregue em Londres em novembro de 2009, o World Travel Award, elegeu o Rio o melhor destino da América do Sul e o Amazonas o melhor destino verde.

22.29.4. Pesquisa traça perfil do turismo no interno

·           53,7% dos turistas tiveram suas expectativas totalmente correspondidas;

·           38,9% dos turistas têm renda superior a dez salários mínimos;

·          a Bahia é o principal destino escolhido (11,6%), seguida por São Paulo (10,9%), Rio de Janeiro (9,4%) e Santa Catarina (9%);

·           os principais motivos para a escolha do destino são as belezas naturais (33,9%) e a praia (21,2%).

22.29.5. Para turistas estrangeiros, o melhor do Brasil é o povo brasileiro

·      segundo pesquisa realizada com turistas estrangeiros, o melhor do Brasil é:

ü   povo brasileiro (45%);

ü   belezas naturais (23%);

ü   praias (18%);

ü   clima (14%);

ü   diversidade (9%).

·      entre as cidades mais lembradas estão Rio de Janeiro (45%), São Paulo (16%) e Salvador (5%).

·      os símbolos do País mais destacados pelos estrangeiros foram:

ü   a bandeira nacional (24%);

ü   Cristo Redentor (17%)

ü   futebol (7%);

ü   Corcovado (6%);

ü   Pão de Açúcar (6%).

22.29.6. Embarque e desembarque

·    o aumento verificado no ano de 2010 no movimento de passageiros indica uma mudança de patamar nos movimentos operacionais da rede  INFRAERO, haja vista o crescimento de 19% no ano de 2010 em relação aos  crescimentos de 17%, 3,3% e 9% para os anos de 2009, 2008 e 2007 respectivamente.

 

Ano

Regular

Total

Acréscimos

 

Doméstico

Internacional

Geral

 

2006

84.548.978

11.347.604

95.896.582

0

2007

93.096.063

11.811.455

104.907.518

9%

2008

95.688.193

12.729.272

108.417.465

3,3%

2009

110.801.414

12.715.061

126.237.467

17%

2010

134.833.753

15.403.714

150.237.467

19%

 

22.29.7. Financiamento para o turismo crescem 61%

·        R$ 3,8 bilhões em financiamentos foram liberados pelos bancos públicos federais de jan/09 a ago/09. No mesmo período em 2008 foram liberados R$ 2,4 bilhões;

·        os financiamentos são destinados a capital de giro e a investimentos em implantação; reformas; modernização e aquisição de máquinas e equipamentos turísticos;

·        a Caixa ofertou o maior volume de recursos de 2009, cerca de R$ 1,9 bilhão, seguida pelo Banco do Brasil, com R$ 1,7 bilhão;

        O Banco do Nordeste liberou R$ 87,5 milhões, o Banco da Amazónia R$ 38 milhões e o BNDES R$ 45 milhões.

22.29.8. Campanha verão 2009/2010 estimula turismo interno

·        lançada em novembro de 2009 a campanha Se você é brasileiro está na hora de conhecer o Brasil, com divulgação na televisão, internet, revistas, jornais, cinemas, aeroportos e metro;

·        com o foco nas praias brasileiras, a ação pretende estimular as viagens domésticas no País durante as férias.

22.29.9. Fórum econômico - Londres - Turismo no Brasil avança muito pouco

Londres – Agência Estado de São Paulo – Daniele Milanese

·        apesar de ser considerado o País com a maior riqueza natural do mundo, o Brasil não consegue ser competitivo na indústria de turismo e perde espaço para outras nações.

Problemas de infraestrutura, regulação, violência, falta de mão de obra qualificada e ausência de investimentos acabam se sobrepondo às vantagens das belezas nacionais.

É o que mostra o ranking sobre a competitividade no setor divulgado pelo Fórum Econômico Mundial;

·        o Brasil desbancou todos os 139 países analisados e marcou o primeiro lugar no quesito de riqueza natural, principalmente pela diversidade de espécies animais existentes, com a fauna mais rica do mundo, além do número de lugares considerados patrimônios da humanidade, da quantidade de áreas protegidas e da qualidade do meio ambiente;

·        entretanto, ficou apenas com o 52º lugar na classificação geral no levantamento deste ano, perdendo sete posições na comparação com o ranking anterior, realizado em 2009 - apesar de ter mantido praticamente a mesma nota;

·        as piores avaliações foram obtidas em critérios como:

ü  a infraestrutura de transportes;

ü  a ausência de trabalhadores qualificados;

ü  regras para o estabelecimento de negócios no setor;

·        o Brasil aparece, por exemplo, como um dos países onde mais tempo se leva para abrir uma empresa;

·        o peso do crime e da violência também desfavorece o País;

·        o levantamento mostrou ainda a falta de prioridade dada à indústria de turismo, em razão dos baixos investimentos do governo;

        A rede de transportes continua pouco desenvolvida e a qualidade das estradas, portos e trens precisa de melhorias, diz o estudo;

·       o Fórum Econômico Mundial destaca que a competitividade do Brasil nessa área fica abalada também em razão dos elevados impostos que recaem sobre o transporte;

        O levantamento aponta a alta taxação embutida nas passagens aéreas e as tarifas cobradas pelos aeroportos;

·       dessa forma, o Brasil acabou superado no ranking, por exemplo, pelo México, que subiu oito posições e agora está em 43º;

·       além das riquezas naturais e culturais, o país vem priorizando  o turismo, com uma série de campanhas para atrair visitantes;

© 2013 - Todos os direitos reservados - Diagrama Marketing Editorial