Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Capítulos

Visão sistêmica, características, país, engenharia e abrangência do portal

Capítulos 1 2 3 4 5 6

Capítulo V

Abrangência do portal da engenharia compartilhada e interdependência entre os tópicos

1.8. Abrangência

1.8.1. Abrangência

33 tópicos       248 capítulos      781 seções       6421 páginas
 
0 PREFÁCIO

1.  INTRODUÇÃO À VISÃO E À REDE SISTÊMICA DA ENGENHARIA

Visão Sistêmica; Modelagem e Interdependência por Processos de Trabalho; Rede de relacionamento compartilhada; País, Empresa e Participação do Engenheiro; Agências Reguladoras; Diagnóstico econômico e rumo do País; Diagnóstico da infraestrutura; Síntese dos tópicos; Interdependência entre os tópicos; Criando seu próprio tópico.
  •                       05                         12                        122
2.  MODELAGEM E INTERDEPENDÊNCIA POR PROCESSOS DE TRABALHO (SMIDT)

A finalidade desse tópico é apresentar as principais ferramentas para que o leitor tenha condições de compreender os fundamentos do sistema para obter vantagem competitiva nos negócios por meio do “Sistema de Modelagem e Interdependência por Processos de Trabalho”.
  •                       06                         19                         218
3.  SINCRONISMO ORGANIZACIONAL (SO)

A finalidade desse tópico é conceituar a empresa e o indivíduo na sociedade; Áreas: competência, conhecimento e desempenho; Matriz de responsabilidades: empresa e projetos; Fundamentos: excelência e qualidade; Balanço: patrimonial, social, ecológico e projetado; Dinâmica patrimonial e análise de indicadores de desempenho.
  •                       04                          23                        228
4.  PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANO DE NEGÓCIOS (PEPN)

Tipos de estratégia; Ciclo de vida e formulação das estratégias; Cenários; oportunidades e ameaças; diagnósticos; Ciclo: intenção; avaliação; consolidação; implantação e operação de um projeto; Orçamento corporativo; Análise de investimentos; fluxo de caixa; exemplos.
  •                       05                          26                        164
5.  RISCOS (R)

Global; País; Atuação nas áreas de competência da empresa, na sua criação e desenvolvimento de projetos; Abrangência: intenção, avaliação, consolidação, implantação e operação; Plano de contingência.
  •                       06                           21                        128
6.  INDICADORES DE DESEMPENHO (ID)

Sistema de indicadores, integração e harmonização; Gestão; Desempenho das empresas pública e privada como um todo e nas suas áreas de conhecimento.
  •                       06                           20                        142
7.  QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, TECNOLOGIA E CONTROLE TECNOLÓGICO (QMATCT)

Atuação nas áreas da empresa e dos projetos; meio ambiente, tecnologia e controle tecnológico; Atividades da equipe; Valorização e garantia dos processos de controle; Processos de aquisição, controle tecnológico e laboratórios; ISO: 9000-2004, 14000, 1004.
  •                       07                           23                         235
8.  MEIO AMBIENTE (MA)

Ecologia, ecossistemas e ciclo de nutrientes; Energia e meio ambiente; Política internacional e nacional, constituição, legislação federal, estadual e municipal; Programas e requisitos; Responsabilidades, fiscalização e crimes ambientais.
  •                       05                           28                          264
9.  GESTÃO AMBIENTAL (GA)

Implementando o sistema de licença ambiental; Avaliação e licenciamento ambiental; Termo de referências, relatórios; Impactos ambientais, passivos e ações mitigadoras; Ecoprodutos e reciclagem; Qualidade, indicadores de desempenho e monitoramento.
  •                       08                          18                            220
10.   PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA (PAE)

Conceituação e valorização; modelo de gestão, planejamento estratégico, Projetos: preliminar, básico e executivo; atividades da equipe para a implantação; fluxograma da execução, consistência, fiscalização, desempenho e monitoramento; responsabilidade; qualidade; interdependência da qualidade, meio ambiente, tecnologia, controle tecnológico, dos participantes de um projeto; gestão dos riscos nos ciclos de intenção, avaliação, consolidação, implantação (construção), operação e contratação de projetistas, análise e revisão dos projetos de arquitetura e engenharia, riscos de orçamento e na formulação do fluxo de caixa; decreto lei 5.656 de São Paulo.
  •                      11                            26                           168
11.   EMPREENDEDOR GESTÃO DE  PROJETOS (EGP)

Diretrizes do empreendedor, modelo de gestão; Atividades da equipe; Intenção, avaliação e consolidação; Implantação e operação; Planejamento e controle de projetos de engenharia e arquitetura; Viabilidade técnica e econômica; Monitoramento e indicadores de desempenho.
  •                      04                            49                            272
12.   CONSTRUTOR (C)

Módulo de planejamento técnico e meio ambiente; Cronogramas, produções programadas e níveis de produção; Interdependência entre equipamentos, materiais e mão de obra; Composição técnica dos serviços; Canteiro de obras e acampamento; Módulo de planejamento dos custos; Riscos e contingência; Orçamento e BDI integrados.
  •                      04                             44                           256
13.   PLANEJAR PARA CONSTRUIR (PC)

Organização e planejamento do trabalho; Modalidades de cronogramas, níveis de produção e produção em equipe; Interdependência dos processos construtivos e a mão de obra, equipamentos e materiais; Interdependência dos processos construtivos e o meio ambiente; Canteiro e acampamento de obras: arranjos e fluxogramas operacionais.
  •                      11                             21                           370
14.   EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS (EI)

Visão sistêmica, com ênfase nas Normas Brasileiras de incorporação imobiliária e nas leis de condomínio; Plano e gestão, qualidade e fatores influenciáveis na comercialização; Edificações prediais público/privado e condomínios; Análise de investimentos de projetos e sua viabilidade; Implantação e monitoramento.
  •                      12                             57                           322
15.   EMPREENDEDOR PÚBLICO - GESTOR DE PROJETOS (EP-GP)

Pessoas jurídicas; Bens públicos e empresas públicas; Estado brasileiro; Áreas de atuação; planejamento estratégico e indicadores de desempenho; abrangência e gestão; Lei de responsabilidade fiscal; instrumentos de controle interno e externo; Improbabilidade administrativa; Controle social; indicadores de desempenho; Licitações e contratos de obras públicas; Auditoria; Ciclo de vida de um projeto: comprometida e ideal; Estratégia para a criação e desenvolvimento de um projeto; Processos e interdependência dos participantes; Atividades dos participantes; Criação e desenvolvimento de um projeto: intenção, avaliação, consolidação, implantação e operação; Foco: na execução dos projetos de arquitetura e engenharia: fiscalização, gestão ambiental, qualidade, riscos; Procedimentos: técnicos, custos e BDI; Estudos de viabilidade; Plano plurianual; Concessões; Parcerias público privadas; implantação de um projeto.
  •                      09                              27                           266
16.   AGÊNCIAS REGULADORAS E CONCESSÕES (ARC)

Plano nacional e estadual de desestatização; Agências reguladoras: nacional, estadual, e municipal; Concessões de serviços públicos e das obras públicas.
  •                      06                              06                           112
17.   PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS (PPP’S)

O papel das parcerias, leis e decretos; Responsabilidades e pontos conflitantes; Projetos e seus riscos e da parceria; Aspectos jurídicos; Mapeamento dos principais serviços; Equilíbrio entre o setor público e o privado; Sociedade de propósitos específicos (SPE);  Planejamento e roteiro de implantação; Monitoramento e indicadores de desempenho.
  •                      09                              18                            198
18.   ATIVOS: MANUTENÇÃO E  CONSERVAÇÃO (AMC)

Equipamentos, edificações e obras de arte; Vida útil e métodos de depreciação, incluindo custo horário em função do planejamento; Riscos; anomalias; diagnóstico técnico; Intervenções: preventiva, corretiva e industrial; Monitoramento físico-econômico dos projetos público e privado.
  •                      14                              46                            330
19.   OPERAÇÃO DE PROJETOS (OP)

Matriz organizacional; Organização e pontos chaves na obtenção do produto; Bases da operação e dos ativos; Plano e gestão do meio ambiente, riscos e orçamento; Manutenção e Conservação; Avaliação do plano na empresa e nos projetos; Monitoramento e indicadores de desempenho.
  •                      09                              41                            284
20.   LICITAÇÕES, PREGÃO E LEILÃO (LPL)

Regulamento geral e procedimentos; Licitação nacional e internacional; Gestão dos projetos de engenharia e arquitetura; Concessões e Parcerias Público-Privadas; Interdependência com os Tribunais de Contas: Federal, Estadual e Municipal.
  •                      08                              45                            320
21.   AUDITORIA (A)

Direcionada para os serviços de engenharia, empresas, projetos público e privado; Fundamentos, procedimentos e alcance, vistorias físicas, exames de documentação; Qualidade e meio ambiente; Interdependência com os Tribunais de Contas: licitações, andamento dos contratos; Riscos, monitoramento e indicadores de desempenho.
  •                      15                              52                            256
22.   RETRATO DO BRASIL (RB)

Democracia, aspecto político, monetário e equilíbrio das oportunidades; Divisão econômica de sua população; Política externa; Retrato social e econômico social; Evolução do emprego; Desenvolvimento produtivo; Exportação; Bolsa família; Documentação civil.
  •                       04                             13                              68
23.   ENERGIA I MODELO INSTITUCIONAL, INVESTIMENTOS e PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Bases do novo modelo institucional, Investimentos PROINFA, BNDES, Leilão , Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Regulamentação, Empresas Governamentais e Não Governamentais, Síntese do Plano Nacional Estratégico – PNE – período de 2005 a 2030
  •                        07                            10                             123
24.   ENERGIA II - ENERGIA RENOVÁVEL-UHE, CGH E PCH

Disponibilidades, panorama dos recursos hídricos, bacias hidrográficas, cenário tecnológico, como funciona uma hidrelétrica, barragem, reservatório, vertedouro, tomada d´água, condutos forçados, casa de força, fases de execução, turbinas do tipo Bulbo, Kaplan, Francis, Pelton, Usinas Plataforma, relatório preliminar, estudo de viabilidade, planilha de serviços, cenários de custos e das interferências, relação das HUE em operação, construção e outorga, central de energia menor do que 1.000 KV e PCH, em operação, construção e outorga;
  •                        04                             13                            183
25.   ENERGIA III - ENERGIA RENOVÁVEL-EÓLICA, SOLAR E BIOMASSA

Eólica- introdução, potencial e especificações, potencial, monitoramento, aerogeradores, usinas em operação, construção e outorga; Solar-conversão, radiação solar, geração fotovoltaica; Biomassa-conceituação, rotas tecnológicas para conversão, expansão da produção agrícola, cana de açúcar, etanol, celulose, processos de conversão, usinas em operação, construção e outorga
  •                         04                               6                              83
26.   ENERGIA IV - ENERGIA NÃO  RENOVÁVEL- UTE DO TIPO FÓSSIL, CARVÃO MINERAL E NUCLEAR

Gás Natural-produção esquemática, tipo de usina, eficiência, exemplos de usinas, principais gasodutos, evolução institucional; Óleo Diesel-evolução, esquema de produção a partir do petróleo; Carvão Mineral-esquema do processo de produção de energia  partir do carvão mineral, reservas brasileiras; Usinas do tipo UTE fóssil em operação, construção e outorga; Usinas do Tipo UTE biomassa-conceituação panorama, avaliação e geração, usinas em operação, construção e outorga; Usina Nuclear-produção, tipos de reatores, produção mundial, novos rumos, Angra I, II e III, reservas de urânios, usinas em operação e em construção, industrias para obtenção do combustível nuclear
  •                          03                               6                              71
27.   ENERGIA V - PETRÓLEO E A PETROBRAS

Agência Nacional de Petróleo, gás natural e biocombustíveis, planejamento estratégico-demanda primária por tipo de energia, metas de produção de óleo e gás, plano de negócios, investimentos, segmentos de negócios, produtores independentes; Pré Sal-desafios e oportunidades, sistema de partilha; Dique Seco da Petrobras; biocombustível; etanol-produção no Brasil, principais produtores,
  •                          05                               8                             128
28.   TRANSMISSÃO, DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA E LUZ PARA TODOS

Procedimentos de distribuição de energia elétrica no sistema nacional – PRODIST, Transmissão de energia e o PAC 1 & 2; Leilão de linhas e subestações; Gestão Ambiental; empresas que participam na distribuição de energia; informações sobre o Programa Luz para Todos;
  •                           02                              6                                48
29.   SISTEMA MODAL DE TRANSPORTES

Visão Sistêmica, conceituação do sistema modal e transporte multimodal, evolução do sistema: rodoviário, ferroviário, aeroviário e aquaviário, sistema nacional de viação e subsistemas, atriz de transportes do Brasil , desequilíbrio e projeções até 2025, PNLT e o PAC, ações regionais do PAc
  •                           03                              9                                99
30.   MODAL DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO, FERROVIÁRIO E MOBILIDADE URBANA

Situação atual da malha rodoviária, melhores e piores estradas, transporte rodoviário: ANTT. Concessões, PNLT e PAC. Transporte Ferroviário de cargas: situação atual, cargas, concessionárias, desafios, movimentação. Transporte ferroviário de passageiros de longo alcance; Transporte de Alta Velocidade (TAV). Mobilidade Urbana: considerações, identificação, simulações. Veículos de pequena capacidade. Transporte Urbano sobre Trilhos. Metrô e Trens, Sistema Metroferroviário.
  •                           04                             11                             113
31.   MODAL DO TRANSPORTE AEROVIÁRIO, AQUAVIÁRIO E DUTOVIÁRIO

Transporte aeroviário: Ministério da Defesa e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Infraero, movimentação de cargas e passageiros, modernização, expansão e qualidade. Transporte fluvial:  de mercadorias e passageiros, Transpetro, hidrovias, PNLT, Eclusas, planejamento estratégico. Portos, ANTAQ, cenários, movimentação, indicadores de desempenho, abrangência do sistema portuário, principais portos e dragagem. Transporte dutoviário:  malha, TRanspetro, gasoduto Brasil-Bolívia, TBG, traçado do Uniduto
  •                           03                             10                             135
32.   HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

Aspectos sociais, familiar e habitação de interesse social, Minha Casa, Minha Vida, leis 11.977 e 1.424, informações complementares da Caixa, Sistema Nacional de Habitação, Plano Nacional de Habitação, Fundo Nacional de Habitação, Assistência Técnica, Regularização Fundiária da Amazônia, Contexto Geral do MCMV, desafios , recursos, metas, estratégia e ciclos para a criação e desenvolvimento de um projeto, fatores influenciáveis na comercialização imobiliária, projetos de arquitetura e engenharia, caderno de encargos, Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade, planejamento técnico e de custos, formação BDI, implantação e monitoramento de um projeto.
  •                           10                              27                              240
33.   SANEAMENTO BÁSICO e RECURSOS HÍDRICOS

O setor no Mundo e no Brasil; principais leis, decretos e resoluções para o desenvolvimento do saneamento básico e dos recursos hídricos, instituições, política e plano de saneamento básico e resíduos sólidos; programas e ações drenagem urbana e controle de erosões e resíduos sólidos, Agência Nacional de Água; infraestrutura hídrica, projetos de drenagem, irrigação e integração do Rio São Francisco com as bacias hidrográficas; saneamento básico, água, esgoto e resíduos sólidos; companhias e agências reguladoras federal, estadual e municipal de saneamento básico; concessionária e consócios de serviços públicos; água para todos e o PAC
  •                           14                              13                                226

1.9. Síntese da interdependência entre os tópicos

1.9.1. Introdução

Relacionadas

Adicionar a Favoritos

Adicionar a Projeto

1.9.1.1. Visão e Rede Sistêmica da Engenharia

Relacionadas

Adicionar a Favoritos

Adicionar a Projeto

1.9.1.2. Sistema

Relacionadas

Adicionar a Favoritos

Adicionar a Projeto

1.9.1.3. Modelagem e Interdependência por Processos de Trabalho

Interdependência entre os Tópicos

Podemos compreender o conceito de interdependência como as coisas que ocorrem de três maneiras diferentes:

  • Primeiro nível, recorre-se ao princípio de causa e efeito, pelo qual todas as coisas e acontecimentos surgem dependendo de uma complexa rede de causas e condições relacionadas entre si. Sendo assim, nada nem nenhum acontecimento pode vir a existir ou permanecer existindo por si só.
  • Num segundo nível, a interdependência pode ser compreendida em termos da mútua dependência que existe entre as partes e o todo. Sem as partes, não pode haver o todo e, sem o todo, o conceito de parte não tem sentido. A idéia de todo implica partes, mas cada uma dessas partes precisa ser considerada como um todo composto de suas próprias partes.
  • No terceiro nível, pode-se dizer que todos os fenômenos têm uma origem dependente porque, quando os analisamos, verificamos que, em essência, eles não possuem uma identidade. 


1.9.2. Fluxo das interdependências

1.9.3. Entendendo os apoios para a formulação das interdependências

Relacionadas

Adicionar a Favoritos

Adicionar a Projeto

1.9.3.1. Modelagem, meio ambiente, riscos, indicadores e BDI

Relacionadas

Adicionar a Favoritos

Adicionar a Projeto

1.9.3.2. Planejar para construir, parcerias, ativos, licitações e auditoria