Brasil apresenta atraso na adoção de tecnologias na construção civil, diz estudo
Um estudo global intitulado “Transformação Digital: O Futuro da Construção Conectada”, mostra que o Brasil é o país com menor nível de maturidade e o mais atrasado em relação às outras nações avaliadas, quando se trata da adoção de tecnologias como Big Data, Inteligência Artificial e modelagem 3D. A pesquisa foi divulgada pela Autodesk, empresa especializada em software 3D de projetos, engenharia e entretenimento e foi conduzida em parceria com a consultoria IDC. Ela ouviu 835 profissionais de grandes construtoras em 12 países da Europa, Américas e Ásia.

A pesquisa indica que o Japão lidera o ranking como o país onde o setor está mais digitalizado, seguido da Alemanha e dos Estados Unidos. Ainda assim, no quadro geral, a Europa e as Américas apresentaram melhor desempenho do que a região Ásia-Pacífico (APJ) no que diz respeito à inovação no mercado da construção civil.


Os principais desafios do Brasil no setor de construção segundo pesquisa da Autodesk / IDC
No entanto, o documento mostra também que, apesar de o Brasil fazer menos uso das tecnologias mencionadas, há uma mudança em direção aos padrões internacionais de construção. Além disso, o país lidera quando o assunto é investimentos em softwares baseados em BIM (Building Information Modeling), ferramenta de gestão que reúne informações detalhadas de uma edificação, por meio de representação digital com desenhos em 3D.

O relatório aponta que adoção da tecnologia em questão no país é de 53%, o que pode ser explicado pelo aumento de parcerias público-privadas nos últimos anos e a pressão para que seu uso seja obrigatório até 2021. A adoção do BIM pelos outros países varia bastante, sendo a Coréia (48%), a Índia (47%) e a China (47%) as mais próximas do Brasil, no ranking, de acordo com o gráfico abaixo:


Brasil lidera entre países que mais adotam ferramentas de gestão no setor de construções
“Diante do atual cenário mundial, diferentes setores estão adotando processos digitais e se adaptando à essa transição imposta pelas condições do momento. Daqui para frente, teremos que ser mais rápidos nessa adoção, pois vivemos uma nova era que requer processos mais ágeis e assertivos" disse Pedro Soethe, gerente técnico da Autodesk Brasil. "Na construção civil não é diferente, seu uso se faz emergente para aprimorar análises de projetos, tomadas de decisão e o desempenho do segment como um todo ”.

"Bloqueios digitais"
O relatório, que tinha como objetivo avaliar a maturidade e os desafios da transformação digital do setor de construção, aponta que a maioria das empresas (58%) ainda está no estágio inicial de sua jornada para a inovação, enquanto 28% estariam no meio do processo de transformação. E apenas 13% podem ser consideradas maduras em relação à adoção de novas tecnologias.

O estudo identificou ainda cinco "bloqueios digitais" que empresas do setor, em todo o mundo, enfrentam em suas jornadas de inovação.

Para 46% das empresas que trabalham para levar a transformação digital adiante, o maior desafio é criar um plano único que seja estratégico para priorizar a implementação dos investimentos tecnológicos. Isso é seguido pela construção de uma arquitetura tecnológica que permita trabalhar com escala (42%); estabelecimento de KPIs e métricas para medir o sucesso digital (37%); exploração da expertise em tecnologia (36%) e incorporação de fluxos de trabalho digitais em toda a empresa (29%).

"Eliminar esses bloqueios pode ajudar as organizações a amadurecer e progredir ao longo de sua jornada de DX, passando pelos estágios iniciais e médios para as fases mais maduras, onde a digitalização é central na maneira como a empresa trabalha e oferece uma vantagem competitiva no mercado", reforça Soethe.

O que teremos no futuro? 
Daniel-Zoe Jimenez, AVP e Head Transformação Digital da IDC, declarou que, embora muitas organizações em todo o mundo já estejam adotando a construção digital e trazendo inovações para seus negócios, o setor ainda não incorporou totalmente os benefícios da digitalização devido aos desafios particulares que enfrenta em comparação com outras indústrias. "No entanto, a pesquisa sugere que as empresas de construção acreditam que as soluções de inovação como fluxos de trabalho BIM, gerenciamento de licitações, gerenciamento de projetos e insights podem ajudar a melhorar seus projetos de construção, e estão procurando novas tecnologias para acelerar sua transformação digital", afirmou.

Para Dustin DeVan, estrategista de construção e evangelista da Autodesk Construction Solutions, o setor de construção está enfrentando a realidade de ter que fazer mais com menos recursos. "Precisamos de mais infraestrutura, mas temos uma escassez de mão-de-obra e margens cada vez menores. Para aumentar a produtividade e conseguir vencer em meio a esse cenário, as empresas devem abraçar a digitalização e conectar suas equipes, fluxos de trabalho e dados".

A pesquisa completa pode ser acessada neste link.

© 2013 - Todos os direitos reservados - Diagrama Marketing Editorial