Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias Antigo complexo escolar é desconstruído sem impacto urbano.
Corporativo III

Antigo complexo escolar é desconstruído sem impacto urbano.

Assessoria de imprensa - Abril 2021 109 Visualizações
Antigo complexo escolar é desconstruído sem impacto urbano.

A localização central do edifício exigia um funcionamento o mais silencioso possível e com baixas vibrações. Três diferentes modelos de tesouras da família CC da Epiroc foram utilizados.

A desconstrução de um complexo de vários edifícios escolares antigos na Alemanha exigiu um duplo desafio por parte da empreiteira responsável pelo projeto.

Situado bem no centro de uma área residencial, os níveis de ruído e vibrações da obra precisavam ser relativamente baixos para não afetar os residentes. Por outro lado, a estrutura a ser demolida era feita de 27.000 metros cúbicos de concreto reforçado, exigindo a atuação de vários equipamentos de alta potência, durante um período de nove meses, dada a necessidade de separação e destinação adequada dos materiais.

O segundo desafio foi a diversidade das estruturas variando desde uma altura de 18 m até pavilhões baixos de grande extensão horizontal.

Em face disso, a empreiteira optou por combinar diferentes equipamentos, cada um adequado para determinados itens do complexo, mas todos com características em comum: alta performance combinada com baixo ruído e vibração.

Desta forma, uma tesoura de concreto Epiroc CC 3700 foi utilizada em uma escavadora de braço longo, para os pontos mais altos.

Para as áreas mais baixas foram usadas as tesouras Epiroc CC 2500 e CC 3300. Sua capacidade de rotacionar 360 graus aumentou a precisão necessária para a operação. Ao mesmo tempo, os ciclos curtos de fechamento e abertura permitiram maior velocidade e os intervalos longos de manutenção proporcionaram maior produtividade.

Outros equipamentos de demolição da Epiroc complementaram a solução, tais como rompedores hidráulicos e garras para movimentação do material.

O diretor técnico da empreiteira a cargo da obra, Herbert Schiefer elogiou a escolha das soluções: "Foi precisamente a decisão certa."