Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias Lubrificação industrial com biodegradáveis: como uma pequena mudança pode impactar diretamente o meio ambiente?
Indústria

Lubrificação industrial com biodegradáveis: como uma pequena mudança pode impactar diretamente o meio ambiente?

Redação - 16 de julho de 2021 179 Visualizações
Lubrificação industrial com biodegradáveis: como uma pequena mudança pode impactar diretamente o meio ambiente?

A Lubvap vem ganhando espaço no mercado, as linhas de lubrificação industrial biodegradáveis se apresentam como uma das alternativas mais utilizadas na operação industrial para a substituição dos lubrificantes convencionais. Somente no último ano, uma das marcas especializadas neste substituto sustentável cresceu 25%.

De acordo com Luiz Maldonado, CEO da Lubvap, distribuidora de soluções de lubrificação, a procura aumentou graças aos benefícios, tanto ambientais como financeiros para as empresas. “Como os nossos produtos permanecem por mais tempo nos pontos de aplicação, reduzem os custos com as trocas frequentes. Além disso, a procura se dá pela preservação do meio ambiente e o prolongamento da vida dos equipamentos”.

Os produtos tradicionais utilizam óleos minerais derivados de petróleo, diminuindo seu período de uso e gerando mais resíduos. Quando descartados de forma incorreta, são prejudiciais à saúde humana e podem gerar multas para as empresas. Maldonado ainda explica que os lubrificantes biodegradáveis são facilmente tratáveis e, caso ocorra o manuseio incorreto, não afetam o meio ambiente. “Se, por algum acidente, nossos produtos forem derramados no rio ou mar, sua composição irá se desfazer rapidamente, sendo completamente absorvido pela natureza”.

As opções de produtos que podem ser substituídas são: Graxas Especiais Biodegradáveis; Fluidos Hidráulicos e, para engrenagens, Fluidos de Corte; Protetivos contra Corrosão; Desengraxantes; e Hand Cleaner Biodegradáveis. “Além da preservação do meio ambiente, nossos produtos prolongam a vida dos equipamentos, aumentam os períodos entre relubrificação e, principalmente não oferecem risco aos colaboradores e à natureza”, conta o especialista.