Logotipo Engenharia Compartilhada
Home Notícias Manutenção nas pedreiras e os benefícios ao seu negócio
MANUTENÇÃO

Manutenção nas pedreiras e os benefícios ao seu negócio

Por Agregados Online - Junho 2020 434 Visualizações
Manutenção nas pedreiras e os benefícios ao seu negócio

Sabemos que ter equipamentos em uma empresa exige cuidados especiais e no setor de agregados essa realidade não é diferente. Assim como acontece em diferentes segmentos, a realização de manutenção nas pedreiras também é fundamental, pois ajuda a evitar as falhas técnicas e as paradas inesperadas que são extremamente prejudiciais à produção. Afinal, quando um equipamento quebra de maneira prematura, ele impacta diretamente nos resultados financeiros de uma operação.
Vale destacar que o impacto de uma parada inesperada pode ser sentido de diversas formas, a depender do papel do equipamento e da capacidade produtiva de uma unidade. Por isso, apesar de todos os equipamentos pertencentes ao fluxograma de uma planta merecerem atenção especial quanto à manutenção, é preciso dar ainda mais ênfase para àqueles de difícil reposição e alto valor, que possam gerar um impacto maior na produção e nos custos da companhia.
Investir na criação de um plano de inspeção, manutenção e lubrificação de forma sistemática e estruturada é uma das melhores formas de evitar paradas não programadas. Neste sentido, a manutenção preventiva se destaca como um conjunto de procedimentos que avalia e corrige possíveis falhas em máquinas e equipamentos antes mesmo que elas aconteçam e gerem prejuízos.
Sabendo da importância do assunto para o pleno funcionamento das pedreiras, conversamos com empresas especializadas em serviços de manutenção preventiva industrial e com as tradicionais fabricantes de equipamentos, para que você, leitor, possa conhecer os produtos e serviços que eles disponibilizam ao mercado de agregados. Acompanhe a seguir!

Haver & Boecker
Com um amplo portfólio para atender ao mercado de agregados, a Haver & Boecker tem como foco oferecer soluções tecnológicas que agreguem valor aos processos dos clientes e contribuam de forma importante para o alcance das metas de produção, qualidade e custos, sempre em consonância com os aspectos de segurança e meio ambiente.
Alinhado com esse objetivo, a empresa destaca alguns serviços disponibilizados para a manutenção nas pedreiras, como:
• Operação e manutenção assistida: contempla o estabelecimento de um contrato de Assistência Técnica com a realização de visitas periódicas para inspeção visual, sensitiva e análise de vibração de equipamentos, auxiliando na definição do mapa de criticidades dos equipamentos. Após a realização da visita, são gerados relatórios com informações que auxiliem os gestores da manutenção nas suas tomadas de decisões e no alcance dos indicadores de manutenção.
• Treinamentos: complementando os serviços prestados pela Assistência Técnica, a Haver & Boecker oferece, durante a posta em marcha dos equipamentos ou posteriormente, treinamento para pessoal de manutenção, permitindo assim a formação de colaboradores qualificados que possibilitam o melhor desempenho das máquinas e sistemas. Os cursos são desenvolvidos de acordo com as necessidades específicas de cada cliente e considerando as particularidades técnicas dos equipamentos.
• Análise de vibração de equipamentos vibratórios: uma das principais causas de quebras dos componentes de equipamentos vibratórios e ineficiência de peneiramento estão relacionadas a um comportamento dinâmico anormal, com acelerações desiquilibradas, amplitudes anormais e altos níveis de torções de torções. Buscando uma solução tecnológica, a engenharia do grupo Haver desenvolveu um software personalizado de análise de vibração que permite uma fácil conexão entre o sistema de análise e o equipamento vibratório.
• Monitoramento online de equipamentos vibratórios através do sistema PULSE: considerado um diferencial tecnológico desenvolvido pela Haver & Boecker, o PULSE contribui de forma significativa para a equipe de manutenção preventiva e preditiva dos clientes. A instrumentação e o monitoramento online são baseados na instalação de dois tipos de sensores inteligentes e sem fio no equipamento: os sensores de estrutura, que farão o monitoramento das condições dinâmicas do corpo vibratório, e os sensores de rolamento, que farão o monitoramento dos rolamentos do acionamento vibratório. Uma vez instalado e em perfeito funcionamento, o sistema de monitoramento online não somente possibilitará o acompanhamento em tempo real, mas também enviará alarmes caso o equipamento passe a operar fora dos limites de segurança especificados.
• Fornecimento de peças de reposição: a Haver & Boecker possui um extenso estoque de peças de reposição e oferece atendimento rápido e eficiente a fim de garantir a continuidade operacional dos equipamentos instalados nas plantas dos clientes. Os técnicos da companhia realizam visitas periódicas às fábricas e em conjunto com a equipe de manutenção do cliente, detectam as necessidades, avaliam os equipamentos e resolvem eventuais problemas de fornecimento, facilitando a comunicação com os usuários.
• Engenharia de processo: Algumas vezes os equipamentos ao longo da operação podem ser submetidos à algumas variáveis que propiciam impactos negativos à produção e à manutenção. Uma ferramenta relevante desenvolvida pela companhia para checar se o equipamento está operando dentro das capacidades de projeto é a realização da análise e simulação dos dados de processos por meio do NIAflow. Trata-se de um software de simulação para a indústria de processamento mineral, capaz de modelar e calcular processos voltados para britagem e peneiramento.
“A realização de uma inspeção detalhada de todos os equipamentos de uma planta, por meio de profissionais especializados, para diagnóstico e geração de backlog de manutenção, é uma das ações preventivas que a Haver & Boecker recomenda para aumentar a vida útil dos equipamentos”, complementa Ademir Santos, Gerente Técnico e Comercial da empresa.
Mas não para por aí. A companhia também defende a criação de um plano de ação para eliminação do backlog, definindo as criticidades e prioridades, a avaliação da possibilidade de criar um sistema integrado de gestão para organização e mapeamentos dos processos de manutenção e a elaboração de planos de inspeção, manutenção e lubrificação de acordo com as particularidades técnicas de cada equipamento.
Para se ter uma ideia da importância de não negligenciar ações deste porte, Santos cita como exemplo um caso de manutenção corretiva que precisou ser realizada em uma Peneira Circular Livre, em decorrência do travamento dos rolamentos e desgaste do eixo do acionamento, bem como do desgaste das carcaças de mancais, labirintos e anéis espaçadores. “Por conta do problema, a unidade na qual a solução estava instalada precisou parar totalmente a sua produção por aproximadamente 72 horas. Além disso, ela precisou lidar com um custo elevado de reparo e geração de horas extras para os colaboradores”, diz. A causa da quebra? A falta de lubrificação dos rolamentos para a condição operacional do equipamento.
Na linha oposta, Santos também menciona um caso de sucesso da empresa em termos de serviços de manutenção preventiva, que começou quando uma Peneira Vibratória da marca apresentou baixa capacidade de produção, entre outras questões como parada por sobrecarga, altura elevada de material sobre o deck do equipamento, transbordo de material para o meio ambiente, entupimento das telas e desgaste prematuro das mesmas.
Entre as ações realizadas para solucionar a questão, destacaram-se a inspeção visual, sensitiva e análise de vibração do comportamento dinâmico da peneira vibratória para diagnóstico; geração de relatórios para a equipe de manutenção; auxílio no planejamento das atividades de manutenção a serem realizadas para correção; e assistência técnica para o acompanhando de todo o processo. Sobre os resultados obtidos da ação, Santos lista o aumento da aceleração de trabalho conforme proposto pela engenharia da Haver (de 2,5 G para 3,8G), o aumento da capacidade de produção do equipamento em aproximadamente 40%, a eliminação do transbordo de material e do entupimento de telas, entre outros aspectos.

Metso

Contratos de longa duração ou atendimento por chamados, que cobrem desde uma simples inspeção até uma manutenção completa dos equipamentos ou, quando necessário, da planta como um todo, estão entre os serviços disponibilizados pela Metso no que tange a manutenção nas pedreiras. “Também oferecemos contratos de desempenho, tecnológica de processos, diagnósticos e melhorias operacionais. Com eles, nossos clientes têm a garantia de que terão a produção esperada ao final do mês, dentro de um custo previsto com a qualidade e segurança operacional desejada”, diz Gustavo Pinheiro Silva, Gerente Nacional de Vendas de Serviços da companhia.
O executivo reforça que todos os equipamentos de uma planta merecem atenção quando o assunto é a manutenção preventiva. Ainda assim, dependendo do fluxo produtivo do cliente, alguns equipamentos são considerados como críticos, por poderem gerar possíveis gargalos na produção em função de uma falha ou outro fator como rendimento operacional.
Segundo ele, o importante é analisar o processo como um todo para diagnosticar e propor as melhores soluções. Nenhum equipamento pode ser esquecido nessa análise, bem como tudo o que o cerca: operação correta, produto passante, planejamento e execução das manutenções e as peças aplicadas. Entre as ações que podem ser adotadas para aumentar a vida útil das tecnologias em questão, estão os serviços de inspeção sensitiva e preditiva, a troca de peças de reposição e desgastes e a manutenção preventiva planejada.
“As pedreiras dispõem de equipamentos de alta performance e complexidade. Quando um desses equipamentos falha, ele impacta diretamente na linha de produção. Trabalhando com um planejamento assertivo e correto, nossos clientes minimizam ao máximo esses riscos”, pondera Silva. Tentar se antecipar ao máximo com relação aos problemas que irão de fato existir é a principal dica que ele dá aos clientes do setor de agregados. “Tudo começa com uma equipe de manutenção preparada, passando por um planejamento bem feito e suportado por um estoque estratégico de peças. Rotinas e avaliações constantes do processo são fundamentais”, pontua.
Atualmente, a Metso já soma uma série de casos de sucesso nesta frente de atuação. Recentemente, por exemplo, a companhia realizou um trabalho de assistência técnica que proporcionou um incremento operacional na ordem de 10% em uma pedreira. “Quando iniciamos o atendimento, o cliente realizava cerca de 380 paradas corretivas mensais. Após a intervenção, o número foi reduzido a 86 eventos por mês. Também realizados uma revisão nos planos e rotinas de manutenção preventiva nos equipamentos de britagem, passando de 12 para 36 rotinas. Por fim, realizamos treinamentos e reciclagem da equipe, bem como análise crítica dos itens em estoque e sobressalentes”, conta Silva.
Na visão da companhia, a tecnologia se sobressai como uma grande aliada quando o assunto é manutenção nas pedreiras, uma vez que vem para dar mais agilidade e segurança nas tomadas de decisões e planejamento estratégico, diminuindo erros. “O equipamento automatizado permite correlacionar causas e efeitos, entregando a informação para as equipes de manutenção e ajudando na antecipação ou postergação de alguma intervenção importante. Os técnicos, por sua vez, têm a vantagem de avaliar o desempenho da máquina com uma visão mais ampla e prever falhas com base no desempenho do equipamento”, conclui o Gerente da Metso.

MMtec Inspeções Industriais
Fundada em 2002, a MMtec surgiu com o objetivo de oferecer excelência em programas de melhorias em projetos industriais e manutenção preventiva. Entre os serviços oferecidos ao mercado de agregados, a companhia destaca as análises de vibrações, balanceamentos, ODS (Operating Deflection Shape), termografia, alinhamento laser e Inspeções em vasos de pressão (NR-13). “Trata-se de um escopo especializado de engenharia mecânica para identificação de falhas e avaliação de performance de equipamentos eletromecânicos”, destaca Luciano Marques, Gerente Comercial da empresa.
De acordo com a MMtec, é fundamental que as pedreiras tenham uma rotina de inspeções dos equipamentos, utilizando soluções e softwares adequados que auxiliem no acompanhamento de falhas e as auxiliem a intervir no melhor momento. “Entre os principais riscos para àqueles que não adotam programas de manutenção preventivas e preditivas em suas unidades, estão o retrabalho, a falta ou o excesso de peças em estoque e o aumento das horas extras trabalhadas. Além dos ricos mais conhecidos, como a indisponibilidade dos equipamentos e, consequentemente, impacto no lucro da empresa”, diz Marques.
Por isso, a MMtec recomenda que seus clientes acompanhem as falhas de máquinas através de ferramentas especializadas e façam a programação de parada em cima dos diagnósticos relatados. Dessa forma, é possível se preparar com relação ao dimensionamento da equipe de manutenção e a disponibilidade de peças de reposição.
Entre as empresas que já se beneficiaram do know-how da MMtec nesta frente está a Mineração Caraíba, situada na Bahia. “Quatro ventiladores novos, com potência de 1 mil cv cada, não estavam operando em conjunto ou na máxima rotação de projeto. Diante do problema, realizamos um trabalho de ODS, por meio do qual identificamos a frequência de ressonância que excitavam o conjunto e desarmavam os sensores fixos de vibração. A solução veio através da eliminação dessa frequência, com a modificação de dutos de entrada e saída, além de reforços estruturais”, finaliza Marques.

Sandvik
Consagrando-se como uma das principais fornecedoras de equipamentos para demolição, perfuração e britagem de rochas, a Sandvik oferece também diversas opções para colaborar com a manutenção preventiva dos equipamentos que estão em operação nas pedreiras. “Todas elas foram especialmente pensadas para ampliar a produtividade e otimizar a disponibilidade das máquinas”, destaca Gelio Figueredo, Gerente de Linha de Produto – Peças & Serviços, Sandvik Mining and Rock Technology.
Dentro da oferta de inspeções, a companhia possibilita que o cliente conte com um profissional treinado e com ampla experiência, visitando o equipamento e verificando desde módulos até a máquina em sua totalidade. Isso garante que tudo esteja de acordo com os padrões da fábrica. “Também organizamos nossa oferta de modo que o cliente possa selecionar o que melhor vá atender a sua operação, o que vai desde serviços de garantia estendida, manutenções e serviços programados, até técnicos e assistência no local, ações para aumentar a produtividade e a performance e treinamentos”, complementa Figueredo.
Para dar conta deste escopo, a Sandvik conta com um Centro de Serviços em Vespasiano (MG) e outro em Parauapebas (PA), ambos preparados para a oferta de treinamentos, reforças e manutenções. Além disso, a companhia dispõe de uma equipe pronta para atender aos clientes brasileiros, bem como um estoque de peças de reposição para os equipamentos.
No que diz respeito aos equipamentos que merecem mais atenção dentro do portfólio da companhia, Figueredo destaca as soluções da Linha Ranger DX, que são destinadas para a aplicação em pedreiras e obras de construção civil. Segundo ele, a manutenção preventiva nesses produtos é extremamente importante, principalmente em relação à perfuratriz hidráulica da máquina, também conhecida popularmente como “martelo”, tendo em vista que este componente é o coração do equipamento. Também vale mencionar a manutenção preventiva nos britadores Sandvik das linhas CJ e CH nos períodos determinados, verificando sempre o desgaste natural de peças e o revestimento dos britadores.

“Já presenciamos diversos casos em que a falta da execução da manutenção preventiva nos intervalos corretos levaram à necessidade de adquirir novos componentes para o equipamento, os quais apresentam um valor de custo percentual muito alto, podendo chegar na faixa de 20 a 25% do custo de uma máquina nova”, conta Figueredo. Em casos mais críticos, a falta de manutenção à longo prazo faz com que o cliente tenha que fazer uma reforma completa de seu equipamento para viabilizar novamente a = operação. “Por isso, em todas as nossas entregas técnicas, instruímos o cliente a seguir o plano de manutenção preventiva do equipamento e da relação das peças a serem substituídas dentro dos períodos de operação”, finaliza.

Sotreq

A lista de soluções que a Sotreq, revendedora oficial de equipamentos Caterpillar, oferece para a manutenção nas pedreiras é grande. Ela vai desde programas de manutenção preventiva customizados para as necessidades de cada cliente, análises de fluidos através do Programa S.O.S. para monitoramento de componentes e plataforma de gestão de ativos e relacionamento, até mão de obra qualificada e certificada para realização das manutenções preventivas, peças e fluídos genuínos e suporte técnico para resolução de dúvidas.
Para fornecer suporte de qualidade em tempo hábil para os clientes do segmento, a empresa soma mais de 40 filiais estrategicamente posicionadas nas regiões Norte, Nordeste, Centro Oeste e Sudeste do país, e possui uma equipe técnica especializada e certificada pelo fabricante. “Além disso, nossa estrutura conta com laboratório de análises de óleo, com capacidade de processamento de 830 mil ensaios completos por ano, três centros de remanufatura de componentes, três centros de monitoramento de condições e centros de distribuição de peças estrategicamente posicionados”, diz Carlos Rapini, Analista de Desenvolvimento de Soluções e Tecnologia da Sotreq.
Rapini defende que os equipamentos de produção, como escavadeiras hidráulicas, carregadeiras, caminhões e perfuratrizes, devem ter a disponibilidade mecânica garantida. Em outras palavras, eles devem ser acompanhados rigorosamente dentro dos padrões de manutenção preventiva, a fim de evitar paradas de máquinas e consequentemente quebras na produção do cliente. “Uma das formas de aumentar a vida útil dessas máquinas é seguir o manual de operação. No entanto, os contratos de manutenção preventiva e o monitoramento das máquinas através do SotreqLink também são grandes aliados dos nossos clientes”, reforça.
O software mencionado por Rapini é uma plataforma de relacionamento que integra a experiência do cliente às tecnologias disponíveis em equipamentos CAT e os serviços digitais da Sotreq. Através dele, é possível acompanhar não somente as condições dos ativos, mas também solicitar suporte e atendimentos. “O SotreqLink contribui para o gerenciamento dos equipamentos a distância, trazendo informações relevantes da frota via dados de telemetria com recomendações para manutenções e recursos administrativos, tudo isso em um só lugar. Ter os equipamentos conectados e reportando certamente traz um grande ganho de performance significativo”, conclui.

Volvo

As soluções de pós-vendas da Volvo são customizadas em função das necessidades específicas de cada cliente. Para o mercado de agregados, por exemplo, a empresa disponibiliza o Programa Acordo de Suporte ao Cliente que, além do plano de manutenção preventiva, inclui programas de inspeção, análise de óleo e acesso ao CareTrack (sistema de telemetria da marca). Para casos mais específicos, a companhia oferece o conceito de “Full Service”, pelo qual 100% das necessidades de manutenção e reparos são incluídas no contrato. Para completar, a Volvo conta com a opção de Técnicos Volvo dedicados em tempo integral na operação do cliente, inventário de peças de reposição e programas de capacitação para operadores e técnicos dos clientes.
“Por meio desse portfólio, garantimos maior eficiência operacional das máquinas, ou seja, maior produtividade com menor consumo de combustível, como também redução de custos de manutenção em reparos, tendo em vista que o pacote de serviços ofertado possibilita previsibilidade. Na prática, o nosso propósito maior é proporcionar maior disponibilidade mecânica dos equipamentos”, explica Samuel Albuquerque, Gerente de Marketing e Vendas de Peças da Volvo Construction Equipment Latin America.
As operações em pedreiras utilizam diversos tipos de equipamentos e, na visão da Volvo, cada qual possui seu nível de importância dentro do processo produtivo. Para que toda a frota opere corretamente dentro deste ciclo, o foco da companhia não é somente a manutenção preventiva, mas ir um passo além e aplicar técnicas que proporcionam maior previsibilidade quanto a uma possível falha decorrente de desgaste de componentes. “Desta forma, planejar intervenções preditivas, ou seja, executar um reparo de forma proativa, evitando uma possível falha que ainda nem foi percebida pelo cliente e que, caso venha a ocorrer, poderia provocar impacto negativo nas metas de produção, é tão importante quanto. Além do mais, custos de reparos corretivos são muito maiores quando comparados ao custo de uma intervenção preditiva ou preventiva”, completa.
O programa de Inspeção Volvo Care, que é uma forma estruturada de identificar possíveis desgastes na máquina, e o programa de análise de óleo, através do qual é possível identificar quando um componente precisa ser reparado antes que falhe, são os grandes exemplos da fabricante neste sentido. “A manutenção preventiva em seu conceito mais amplo, como já abordamos anteriormente, reduz consideravelmente o risco de paradas não programadas. Com isso, obtemos mais tempo disponível para o equipamento produzir. E se além de um programa de manutenção preventiva, com aplicação de peças genuínas e uso do lubrificante correto, aplicarmos também o conceito de intervenções preditivas, temos como principal vantagem a redução de custo em peças e serviços”, resume.
Albuquerque ainda explica que, quando a manutenção preventiva é negligenciada, a consequência natural é alta frequência de paradas não programadas. Logo, haverá, inevitavelmente um forte impacto na disponibilidade mecânica. “Neste cenário desfavorável, as metas de produção provavelmente não serão cumpridas e teríamos mais o agravante de que paradas não programadas podem ser resultantes de danos em componentes, cujo custo para execução do reparo é tradicionalmente muito elevado. Enfim, são muitos os impactos negativos que essa negligência pode causar em toda a operação”, finaliza.